6min. de leitura

Sonhar é ganhar asas, é imaginar e realizar o impossível!

Sonhar é como beber água em dias de muito calor.



É impressionante como não nos damos conta de como sonhar é bom! É realmente um dos presentes mais fantásticos do nosso Criador. Sabe aquele lugar que ainda não conseguimos visitar, seja porque não temos tempo, dinheiro ou “tempo e dinheiro”, e assim por diante? No sonho, você pode ir. Sim! Você se hospeda no melhor hotel, prova as mais deliciosas comidas, participa de todas as atrações, salta de paraquedas, voa de balão, enfim faz tudo o que sempre desejou, e o melhor: tudo de graça e com toda segurança!

No sonho, você pode ser saudável, pode ter o corpo que sempre cobiçou, seus cabelos crescem, sua inteligência aguça, o dinheiro transborda, você lê todos os livros, revê entes queridos, chega ao pico da mais alta montanha e consegue realizar uma das mais apaixonantes proezas: ter ao seu lado aquele grande amor, viver com ele o que quiser e ninguém e nenhum sentimento de “moral” poderão lhe cobrar!

Para aqueles que se aprisionaram no amor e passaram a enxergar “escondidinhos” através da janela da alma, sonhar é como beber água em dias de muito calor. Você mata a sede, como se nada mais fosse importante; você vive aquele momento com tanta intensidade que, quando consegue saciar a sede, você dá um sorrisinho de canto de boca de tanta satisfação! É exatamente assim que acordamos de um sonho bom.


Permitam-me, com todo o meu empirismo acerca do tema, conceitualizar brevemente o que significa o sonho me valendo, resumidamente, de duas abordagens da psicanálise. Porém ressalto que a minha pretensão realmente é continuar falando do sonho sob a óptica de uma sonhadora.

Para Freud, em seu livro “A interpretação dos sonhos”, sonhar é a “realização de um desejo reprimido”.

Já Jung vai um pouco mais além e nos ensina que sonhos “[…] não seriam apenas reveladores de desejos ocultos, mas sim, uma ferramenta da psique que busca o equilíbrio por meio da compensação”.

Costurei todos os resumos conceituais supramencionados e, somados ao meu pedaço ínfimo do tecido que compõe a minha concepção sobre o tema, concebi a minha colcha de retalhos com relação ao conceito de sonho, chegando à conclusão de que sonhar significa poder realizar e viver todo o desejo impossível, todo o tempo, através das asas que faltaram na nossa versão humana, quando acordados, e só as adquirimos quando sonhamos!


Fomos educados e treinados para recriminar a postura de ser um(a) sonhador(a). Quando ouvíamos: ele(a) é um(a) sonhador(a), significava que aquela pessoa não tinha padrões mentais sustentáveis, ou seja, que não tinha os pés no chão, que pensava alto demais ou queria algo impossível. Abarcados por esse aprisionamento conceitual, fomos coibindo cada vez mais os nossos sonhos, seja porque precisávamos ficar amarrados nessa dimensão ou para parecermos sensatos. O resultado é que deixamos de ser os mágicos da nossa vida e passamos somente a acreditar naquilo que aparece em estado sólido à nossa frente. Deixamos de sonhar e estamos robotizados, vivendo, sobrevivendo, resistindo, subsistindo.

Como não me insiro nesse conjunto de pessoas que não podem sonhar, porque sonho até quando estou no ápice da minha realidade, resolvi escrever para lembrar você quão mágico e abençoado é sonhar! E mais do que isso, pasmem, até pecar no sonho é permitido, e é tão bom…

É claro que, às vezes, você acorda com uma cara cínica, olhando para as pessoas como se estivesse no confessionário, como se todo mundo tivesse visto as loucuras de pura felicidade que você se permitiu. Porém, o que você faz com esse sentimento depois que acorda é problema seu… Lembre-se: ninguém viu! Ou você recebe o presente e agradece, torcendo para, à noite, sonhar de novo ou acorda se culpando e se achando a pior pessoa do mundo.

Há também quem acorde e vá buscar os significados para todas as simbologias que apareceram no sonho, na internet, e se impressiona com o primeiro texto que ler.

O ideal é que nós usemos a nossa memória seletiva e, quando o sonho for bom, gostoso, de pura felicidade, ancoremos o sentimento e vivamos essa sensação boa por todo o dia. E, quando for ao contrário, quando o sonho for ruim, devemos esquecê-lo e deixar passar sem impressionar o subconsciente.

Ao deitar-se, depois do ritual pessoal de cada um, coloque suas asas, sem medo de ser feliz, e viaje muito na sua imaginação, e o mais importante: não permita que as pessoas o limitem e lhe digam que você não vai fazer isso nem aqui nem no sonho, pois o mágico da sua vida é você, a varinha é sua, nesse espaço imaginativo, ninguém nunca poderá controlar você!

 

Direitos autorais da imagem de capa: Apostolos Vamvouras/Pexels.

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.