5min. de leitura

Ter momentos de solidão não é egoísmo, é necessidade

Você se senta no alto do morro, vislumbra aquela cidade gigante e tenta entender por que é difícil deixar ir aquilo que não lhe pertence mais.



Pode ser uma praia deserta, um bar lotado ou seu quarto. A bem da verdade, nem precisa ser um lugar real, pode até ser inventado, mas um passeio com a gente mesmo pode ser a melhor decisão que tomaremos nos últimos tempos.

Ficar de molho na banheira escutando uma música calma e mergulhar no mais profundo íntimo do nosso ser com o objetivo de alcançar uma solução para tudo que nos tira o sono, detona nossa paciência e some com nosso humor.

Deitar no gramado, olhar para o céu e se desconectar completamente do mundo para compreender o que nos causa tanta ansiedade e nos deixa com muito medo de correr os riscos pelo caminho que nos leva até nossos sonhos.


Debruçar-nos na janela e fixar o olhar no horizonte, procurando respostas para todas as coisas que tiram a nossa vontade de viver, que nos fazem sofrer e pensar em desistir.

Respirar fundo e esvaziar todas as mágoas, alcançando uma leveza que nos tira os pés do chão e nos leva a um lugar dentro da gente que nos revela os mistérios da vida.

Você se senta no alto do morro, vislumbra aquela cidade gigante e tenta entender por que é difícil deixar ir aquilo que não lhe pertence mais. Você entra em contato consigo mesmo e começa a desapegar do que está fora do seu controle e agradece o aprendizado. Então, sente-se grato por tudo. Pelo que tem, pelo tempo que teve com o que perdeu e troca a sensação de derrota pela vitória de ter vivido tudo que viveu, de ter experimentado tempestades que o fizeram entender quão importante é o brilho do sol.

Então, bem longe de uma realidade caótica e rigorosa, perdemos a noção do tempo e nos deparamos com a magia da existência, com a razão de ser. No suspirar da paz que toma conta da nossa alma despertamos uma pequena parte de nós que tem todas respostas, que clarifica a verdade de todos os desejos e nos coloca de volta no prumo de uma vida, se não feliz, que, pelo menos, nos faça sorrir, que nos satisfaça.


E a partir desse momento, seus olhos irão se abrir e você irá perceber todas as maravilhas que carrega dentro de si. Compreenderá que é muito mais forte que imagina e possui a habilidade e a coragem necessárias para lidar com todos os tormentos que podem amedrontar sua vida neste momento. É nessa solidão, a mais preenchida do mundo, que você descobre o quão longe é capaz de chegar.

Você vai reconhecer a si mesmo, relembrar todas as motivações que tem para viver e compreender que existe um caminho até os seus sonhos, uma caminho único, diferente de todos, porque é só seu. Você se empodera, toma as rédeas da própria vida e desperta o guerreiro dentro de si. Essa sensação toma conta do seu corpo e flui como o sangue nas suas veias.

E esse lugar aonde você vai sozinho, onde ninguém o conhece, é seu refúgio e seu renascer das cinzas. Permita-se chegar e partir de lá quando quiser. Pode ser assustador se dar conta de que está morrendo a cada segundo, mas é extraordinário compreender que você é o dono do tempo que lhe resta.

Então, abra os olhos e veja uma nova vida finita, mas repleta de incríveis possibilidades. Uma vida mais alegre e mais otimista. Tire os pés do chão, voe nas asas dessa sensação. E quando esse sentimento passar, lembre que já é hora de se revisitar.

E dia a dia você vai entendendo, cada vez mais, que é exatamente nessa paz que você deve morar.

 

Direitos autorais da imagem de capa: Andrea Piacquadio/Pexels.

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

* Matéria atualizada em 03/03/2020 às 5:14






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.