ColunistasDicas

Três motivos para ler “comer, rezar, amar”

TRÊS MOTIVOS PARA LER
TRÊS MOTIVOS PARA LER

Não faz muito tempo que “Comer, Rezar, Amar” se transformou num dos meus filmes preferidos. A história de Elizabeth Gilbert é de arrepiar qualquer um.

No entanto, como boa escritora, sempre fiquei curiosa para ler o livro e conhecer ainda mais profundamente a história da autora.

Ufa! Terminei hoje a leitura de 354 páginas e quero compartilhar com vocês três motivos para incentivá-los a lerem o livro.

1. Há um incrível detalhamento que não é abordado no filme

A edição que eu comprei é a comemorativa de 10 anos do livro e possui uma pequena introdução de Elizabeth sobre sua visão da obra após esses anos e perspectivas de sua vida, que sofreram tantas mudanças desde então. Uma das coisas que conta que achei incrível é sobre o momento na viagem em que teve certeza de que não queria ter filhos e o alívio que sentiu ao aceitar essa decisão que a atormentou por anos. Entre outros detalhes e casos da viagem, esse foi um dos que mais me chamou a atenção, pois tenho certeza de que muitas mulheres passam por esse mesmo dilema.


2. É possível aprender muito sobre a cultura dos lugares que ela visitou

Elizabeth não faz apenas um relato pessoal no livro. Ela abre detalhes da cultura e forma de viver de cada um dos lugares que visitou. Dessa forma, “Comer, rezar, amar” é muito mais do que uma história de uma mulher que largou tudo em busca de autoconhecimento. A obra é praticamente um mini-guia cultural sobre lugares muito diferentes do que vivemos.


3. As palavras transmitem a verdadeira energia em cada momento vivido

O filme nada mais é do que uma adaptação. O livro é a verdadeira fonte de sentimentos e descobertas da autora. É lá que moram cada um de seus pensamentos, medos e sonhos. Por mais que o filme seja incrível, percebi que muitas coisas aconteceram de forma diferente na realidade e apenas o livro é capaz de nos transportar para a verdadeira mente de Elizabeth durante a viagem que mudou a sua vida.


0 %