A troca mais valiosa que podemos tirar das relações: a nossa própria capacidade de amar.

3min. de leitura

Qual a sua capacidade para amar? 

No documentário Power of the Heart (assisti cinco vezes), um dos entrevistados diz que os relacionamentos amorosos surgem como uma oportunidade para expandirmos nossa capacidade de amar.



Rompemos relações acreditando que nunca mais amaremos outra pessoa com a mesma intensidade, mas, depois de um tempo, a vida nos convida a amar novamente e mais uma vez, somos capazes de amar ainda mais.

Este mesmo homem diz que ele sabe quando um relacionamento chegou ao fim quando precisa abdicar de alguma parte de seu “eu” para se enquadrar na relação.

Combinando muito do misticismo, esoterismo e cositas más que gosto; descobri o poder que há em se estar extasiado de amor. Amplifica nosso poder interno. Eu, particularmente, vejo-me mais bonita, sinto-me calma diante dos desafios e fico confiante. Certamente, amplia a capacidade de amar dentro de nós. Porém, todo cuidado é pouco na hora de reconhecer que toda essa poderosa energia é nossa e está dentro de nós, o outro apenas estimula um botão interno e vice-versa. Esta é a troca mais valiosa que podemos tirar das relações: a nossa própria capacidade de amar. Por isso, muita lucidez é pouco para se relacionar com os outros com tamanha consciência e de forma que não se crie uma dependência.


Outro dia perguntei a uma amiga que já é avó o que mais mexeu com ela nesta transição para a terceira idade, e ela sabiamente me disse:

– A capacidade de me apaixonar. Quando somos mais jovens nos apaixonamos facilmente por pessoas e coisas, depois vêm a maternidade, é a hora que descobrimos o poder do amor materno. Mas quando se torna avó é fascinante. Acontece, geralmente, em um momento da vida, que já achava que não me apaixonaria mais, que não amaria mais com tanta intensidade… aí chegam os netos e revigoram a capacidade de amar. É alucinante, é um amor que não tem igual.

Penso que as tentativas de relacionamentos a dois são  isso, é uma busca interna contínua de encontrar o amor dentro de nós. De ampliar nosso sentido de se apaixonar. Finalizo com uma frase do poeta Rumi que aprecio muito:


“Olhe para dentro. A sua tarefa não é buscar o amor, mas apenas procurar e encontrar todas as barreiras dentro de si mesmo que você construiu para se proteger do amor.”

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: forewer / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.