Tudo é energia, não há separação em nada. é hora de simplesmente ser…

5min. de leitura

Não há separação em nada. Pois, como tudo é energia, não há linhas divisórias em nada. É chegado o momento de se compreender.

Tudo o que compartilho saibam que é o que o interior mais profundo anseia “exteriorizar”… e assim o faço com um profundo amor!



Pessoas queridas, por favor, compreendam que não há despertar ou iluminação em alguém que deseja ser melhor ou pior.

Amigos, também compreendam que não há vítimas ou agressores aqui… nunca houve… o que sempre acontece é a experiência, em todos os sentidos possíveis.

Não há separação em nada… pois, como tudo é energia, não há linhas divisórias em nada… é chegado o momento de se compreender.


O despertar do ser acontece quando uma determinada concentração de energia (alma-consciência), inserida na grande e ilusória experiência, compreende-se além de um simples eu… a tão dita iluminação não é ser religioso, obter cursos e mais cursos…

O despertar do ser ocorre no momento em que este eu compreende-se um igual com todos e conectado a tudo… é quando você não enxerga mais os outros como outros.

O despertar também acontece quando você não enxerga mais os animais como animais… quando você enxerga em uma simples formiguinha um igual. O despertar acontece quando você profundamente compreende que todos os seres têm igual reconhecimento.


Por favor, amigos, compreendam que a vida é vida onde quer que se manifeste… não há melhor ou pior por causa de sua forma física. Pois o contrário disso é Maya (ilusão)… seria não compreender a si mesmo em profundidade.

Compreendam que não há julgamentos aqui, apenas o discernimento interior.

Amigos, entendam que vocês não são superiores a nenhuma forma de vida… vocês não têm o direito de cessarem outra vida, seja ela qual for… porém, compreendam profundamente que sempre há a livre escolha em tudo, absolutamente tudo… apenas seja consciente.

É necessitado ser consciente de que estamos todos em uma realidade energética onde uma mesma energia compreende-se como o eu, o outro, e o você… e quando se chega ao limite de tudo isso, você não mais se compreende como um simples e limitado eu na totalidade… você agora chegou a um ponto onde não mais se reconhece como a forma física, integralmente… de algum modo você compreendeu tão profundamente que nunca foi este personagem de nome João ou Maria totalmente.

Você compreende que palavras jamais expressarão o que é você em totalidade… pois você agora foi tão fundo, que percebeu que não havia um fundo no fundo… compreendeu que sempre foi “o tudo e o nada ao mesmo tempo”.

Então nesses momentos você anseia simplesmente ser… não importa o que… você somente precisa ser… você apenas precisa ser profundamente o que deseja ser.

Neste momento você também compreende a importância de deixar que os “outros” simplesmente sejam o que anseiam ser.

E finalmente você se compreende em um “local” onde uma mesma energia é profundamente envolvida em si mesma, sobre a grande ilusão da separação entre todas as coisas.

Não há outros… não há dentro ou fora… não há certo ou errado… o que há é o agora.

É preciso simplesmente ser.

A alma sofre uma profunda crise de existência… simplesmente por não conseguir ser o que é em totalidade… liberte-se e simplesmente seja… porém, seja no agora.

E assim compreendo-me profundamente por ser eu mesmo… deixando com que os outros sejam eles mesmos… pois, originalmente, todos sempre foram UM.

Trabalhando interiormente pela verdade.

_________

Direitos autorais da imagem de capa: olegtroino / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.