Um coração livre é sempre um coração que perdoou, que aceitou libertar-se de toda a mágoa.

3min. de leitura

Perdoar, sobretudo quando somos gravemente feridos, pode ser muito difícil e muito doloroso.



Contudo, o perdão é uma luz maravilhosa que nos transforma e nos permite retomar a nossa integridade.

Somos o sobrevivente que se tornou vitorioso, forte, compassivo e magnânimo.

Quando o perdão é ancorado na compreensão e na sinceridade, é uma ferramenta poderosa de libertação da alma.

Através do gesto de perdoar, soltamos a carga que o outro colocou em nós. Vislumbramos a experiência em perspetiva e criamos espaço para a aprendizagem mútua.


Isso acontece porque temos consciência que também nós enfrentamos muitos momentos em que não fomos o que gostaríamos de ter sido. Em que ainda não estávamos preparados, disponíveis, maduros. Em que o nosso desdobramento energético não era ainda consistente com a expectativa ou o merecimento do outro.

O perdão faz a ponte entre as nossas limitações e o nosso potencial. As circunstâncias e a nossa verdade profunda. O manifestado e o não manifestado.

E torna-nos precursores da evolução do outro.

Quando perdoamos genuinamente, sem reservas e sem condições, reconhecemos interiormente os desafios e a incompletude do outro, que percorre tal como nós a sua jornada em direção à iluminação. Nem sempre no nosso tempo. Nem sempre na nossa esfera de possibilidade.


O perdão aproxima-nos daquilo que somos verdadeiramente, relativizando e cicatrizando as feridas que o ego, o medo e o apego criaram em nós. Ao perdoar, compreendemos e entendemos o aspeto da nossa identidade humana que foi convocado pela situação e rasgamos o espaço da dor e do ressentimento, permitindo este seja trespassado pelo amor, pela luz e pela empatia para com os desafios do outro, restaurando a nossa soberania existencial.

Ao perdoar, deixamos de nos identificar com o papel de vítimas e acolhemos a totalidade da experiência, possibilitando a construção do ser mais profundo de quem nós somos.

Um coração livre é sempre um coração que perdoou, que aceitou libertar-se de toda a mágoa e entendeu verdadeiramente o poder da compaixão para consigo e para com todos.

Ao agir por meio do perdão, abrimo-nos ao fluxo da vida e criamos caminho para o projeto da alma, para a revelação de todas as coisas na sua plenitude e para a realização do propósito da nossa existência.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.