5min. de leitura

Uma leitura que vale a prática!

Eu sou daquelas pessoas que acredita fielmente que a leitura só vale, se ela for mudar sua vida, nem que seja 0,001%.



Pois bem, ganhei o Livro intitulado “A mágica da arrumação”, de autoria de Marie Kondo, editora Sextante, e confesso que me surpreendi com a leitura e com os resultados. Porque, é claro, essa pessoa aqui que vos escreve colocou em prática.

Coloquei em prática por quê? Porque muitos dizem que a bagunça é a melhor amiga da criatividade, mas eu posso dizer que no meu caso não é. E tenho certeza que muitos de vocês são parecidos comigo.

Eu sempre me senti muito orgulhosa das minhas arrumações, que fazia religiosamente de 2 em 2 meses. Mas, ao entender o princípio do livro, eu me embasbaquei. Minhas organizações foram por água abaixo.


O que me encantou realmente foi quando a autora do livro, por diversas vezes, reforça: fique apenas com o que o deixa feliz. E não que isso é sensacional!

Deparei-me com o fato de que a compra, muitas vezes, é para preencher algum vazio dentro de nós, o que nos auxilia momentaneamente.  E que, sim, guardamos coisas que nunca mais serão usadas e abusadas.

Estou eu com a casa virada para baixo, pois um dos passos é tirar tudo do lugar e repensar cada item.

O maior agravante na minha situação era uma imensa caixa de recordação, que nunca abro, salvo uma vez ao ano, e olhe lá. Nessa caixa havia de tudo, até flores secas, no auge dos meus 16 anos (rindo muito), eu muito apegada de tal forma que não deixava ninguém mexer nela.


Então, fiz algo que nunca faria, se não fosse a curiosidade em testar. Muito embora eu seja uma estudiosa de energias, ocultismo e afins. Despedi-me de papéis, gente, isso aí, papéis. Eu conversei com as cartas, cartões, frascos de perfumes que ganhara, flores. Agradeci de coração e revivi ali cada emoção sentida na época, e soltei. Soltei tudo para universo, porque o que realmente importa são as emoções e as memórias que serão eternas.

Sobre as roupas e calçados, doei muito, coloquei à venda muita coisa, mas não foi o suficiente para deixar um imenso vazio.

Eu reorganizei as distribuições, porque sou uma pessoa extremamente visual; se não vejo, não uso. Embora ame todas as coisas que ficaram. Minha paixão de infância: a moda. Sendo assim, não é possível ter pouca roupa. (rindo muito novamente)

Ao finalizar essa grandiosa limpeza, usei a churrasqueira da casa, para, em três viagens, queimar tudo que tinha juntado.

É inacreditável a quantidade de porcarias que juntamos na vida. E como é bom se sentir mais leve.

Uma fofoca, gente: o resultado final foi incrível, a minha casa parecia mais clara, mais ampla. E as visitas após esse dia, comentam a mesma coisa, juravam que eu tinha realizado uma reforma.

Meu dia a dia começa muito melhor, consigo visualizar todas as minhas roupas, acessórios, crio meu look com mais agilidade e criatividade.

A minha vida pessoal ficou mais alegre e divertida. Alcancei duas situações que almejava muito. E, por fim, consegui organizar meu notebook, que há mais de dois anos, não conseguia deixar em dia.

Digo a vocês: leiam, se puderem. Essa leitura vale a pena! Obrigada Marie Kondo, por me devolver a leveza, o sorriso. Obrigada, principalmente, por me devolver a sabedoria de que a gente não leva nada dessa vida, apenas a vida que a gente leva.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: auremar / 123RF Imagens

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

* Matéria atualizada em 11/02/2018 às 5:38






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.