ColunistasReflexãoVida Plena

A vida é mar calmo e eu sou tempestade…

Se eu tivesse uma casa no campo, um bangalô na praia, um sobrado na serra. Ah, como a vida seria de calmaria. Um jardim, um balanço, um mergulho demorado. Fugir desse mundo louco, da multidão que caminha sem rumo, do olhar ansioso no retrovisor.



Porém, eu preciso dizer! A vida não pode ser mar calmo quando, por dentro, somos tempestade. Podemos correr para o campo, para o mar, para as montanhas. Mas só um salto para dentro de nós pode acalmar a chuva forte.

Sinto uma certa tensão diante da calmaria, das pessoas que não vibram, das ideias que não ganham forma, dos sentimentos que não são expressados. O que será que acontece ali dentro, tão guardado para logo depois?

A VIDA É MAR E EU SOU TEMPESTADE FOTO 02

Quando eu e a Elair estávamos trabalhando no projeto Feliz Vida Livre, em dezembro, eu li um texto dela, que dizia: a vida é agora. Achei sensacional, justamente porque ela está acontecendo neste momento. Cada segundo que passa, enquanto a gente fica parado olhando o relógio, é vida que deixa de existir. São sonhos que estão no modo pause, esperando que a primeira gota d’água caia do céu. Que a terra que há em nós, volte a tremer.


Um texto, um dos meus preferidos, traz a definição de mundo, escrito por Eduardo Galeano, em seu Livro dos Abraços (vocês vão ouvir falar muito dele por aqui).

— O mundo é isso — revelou — Um montão de gente, um mar de fogueirinhas. Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores. Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento, e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas. Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo.


Ah, esses meus cabelos crespos que estão sempre voando, sempre em movimento, sempre afobados. Eles têm pressa. Mas… pressa de quê, pressa para o quê, pressa para onde?

Pressa para ser feliz.


Solta o cabelo menina, e vai viver que o mundo é teu!

Artigo Anterior

A desconhecida

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.