10 momentos na vida em que é melhor fazer silêncio:

7min. de leitura

“Existem momentos para falar e momentos para se fazer silêncio. ”– Aung San Suu Kyi

Provavelmente, a maioria das pessoas que estão lendo este artigo não reconhecem o nome Aung San Suu Kyi. A Sra. Suu Kyi é a primeira e atual conselheira estadual e líder da liga nacional da democracia de Mianmar-anteriormente conhecida como Burma.



Em 1991, “a senhora”, como ela é conhecida por seus compatriotas, foi premiada com o prêmio Nobel da paz. A Comissão que indicou a Suu Kyi a chamou de “um exemplo de poder dos impotentes.”

De 1948 a 2010, então, a Birmânia havia sido envolvida em uma guerra civil consistindo em aproximadamente 30 grupos rebeldes (hoje, apenas cinco permanecem.) Suu Kyi passou a maior parte do tempo ao longo do final dos anos 80 a 2010, em alguma forma de “detenção” para a suas opiniões democráticas.

Agora, o líder de fato do país, Suu Kyi tornou a paz sua prioridade. Citando seus modelos como Martin Luther King Jr. e Mahatma Gandhi, o líder entende e demonstra firmemente a sua convicção forte de que o silêncio é tão importante, senão mais do que falar.

De fato, existe momentos onde é mais benéfico permanecer em silêncio do que se pronunciar. (Uma lição da qual muitos políticos poderiam se beneficiar).


Em nossas vidas pessoais, nós não precisamos ser um político ou outra figura proeminente para reconhecer o tempo e o lugar para ficarmos em silêncio.

AQUI ESTÃO DEZ MOMENTOS NA VIDA QUE FARÍAMOS BEM EM FICARMOS QUIETOS:

1. QUANDO VOCÊ NÃO TEM OS FATOS NECESSÁRIOS

Harlan Ellison, um dos escritores mais prolíficos da história, uma vez disse: “Você não tem direito à sua opinião. Você tem direito à sua opinião informada. Ninguém tem o direito de ser ignorante.

Você pode ou não concordar com o sentimento de Ellison, mas falar sobre algo que você não tem nenhum fato ou evidência pode bem ser percebido como uma informação sem relevância.


Se é uma questão delicada, faríamos bem em segurar nossa língua até sabermos de todos os fatos.


2. QUANDO VOCÊ SENTIR QUE AS PALAVRAS PODEM DOER

No meio de uma discussão acalorada, a maioria (ou tudo) que nós dissermos pode, injustamente, machucar alguém. Sendo honestos com nós mesmos, nós sentimos os efeitos colaterais das palavras antes de serem ditas. Em outras palavras, sabíamos do estrago que essas palavras podem produzir e, ainda assim, nós as dissemos de qualquer maneira.

Quando os temperamentos são altos, a voz deve ser baixa.


3. VOCÊ PODE SE ENVERGONHAR

Os itens 2 e 3 são muitas vezes inclusivos. Quando substituímos frieza e lógica com uma cabeça quente e impulsividade, as mudanças que sofremos por ferir alguém e a nós mesmos é devastadora.

Sentir vergonha de algo que nunca deveria ser dito não vale a pena.


4. QUANDO NÃO É NOSSO LUGAR DE FALAR

A verdade é que a atenção focada e totalmente atenta (ou seja, a escuta ativa) é rara. Muitas pessoas preferem ser ouvidas do que ouvir – e isso é algo que pode nos incomodar durante todas as fases de nossas vidas.

Compreender e ser hábil na escuta ativa pode levar a novas ideias, ampliar o conhecimento e melhorar nossos relacionamentos.


5. QUANDO NÃO TEMOS NADA A DIZER

É irônico que o “silêncio desconfortável” seja insuportável, mas conversa fiada é uma habilidade social. Bater papo com os amigos é agradável, mas devemos mesmo sentir a obrigação de dizer algo, mesmo quando não há nada a ser dito?


6. QUANDO VOCÊ É INSULTADO

Ninguém é imune a não ser apreciado sem uma boa razão. Ninguém é imune ao bullying, mesmo quando envelhecemos. Não há uma boa razão para responder qualquer pessoa que tenha como único objetivo provocá-lo..

Você possui o autocontrole para encerrar a conversa, use-o.


7. QUANDO VOCÊ TENTA MUDAR UM COMPORTAMENTO

Compreender e fazer uma tentativa de quebrar um mau hábito é um ato nobre. Mudar o nosso comportamento também pode ser bastante difícil, às vezes. Hábitos, muitas vezes se repetem porque nós não nos monitoramos ativamente para intervir.

Quando se trata de mudar a forma como falamos a nós mesmos e aos outros, surgirá um influxo de pensamentos e sentimentos contraditórios.

É importante manter o silêncio, até que possamos recuperar o controle.


8. QUANDO VOCÊ SENTE MUITAS EMOÇÕES NEGATIVAS

Mais uma vez, não há uma lei não escrita que você deve falar com as pessoas. Não há, certamente, nenhuma lei que diz que você deve falar com as pessoas quando está em um estado ruim. Como dito antes, as emoções negativas têm uma maneira de nublar o nosso julgamento, e isso pode nos levar para um caminho que não queremos ir.


9. QUANDO VOCÊ PODERIA FAZER ALGO PRODUTIVO

Por que você está tagarelando 100 palavras por segundo sobre nada em particular, quando você poderia investir em uma atividade mais sábia? Sem surpresas, engajar-se em uma conversa aleatória é um meio comum de evitar responsabilidades.

O que você poderia fazer no lugar, que melhoraria sua vida?


10. QUANDO FOR FALAR MAL DE ALGUÉM

Falar sobre alguém com intenção de infligir dano ao seu caráter é um ato tolo. É uma situação sem vitória. Particularmente, quando este “alguém” é um cônjuge, parente, amigo ou colega.

Se existe um problema entre você e outra pessoa ou vice-versa, resolvam isso pessoalmente. Fique acima da negatividade e demonstre seu caráter.

_______

Referências:   BBC   Psychology Today

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Power of Positivity

 Direitos autorais da imagem de capa: zigf / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.