Comportamento

“Amo minhas filhas; detesto ser mãe.” Samara Felippo fala sobre sua experiência com a maternidade solo

A atriz falou sobre a relação com a maternidade depois da separação. Entenda!



Para muitas mulheres, a maternidade é um sonho e um objetivo de vida. Elas sonham em ter filhos desde muito novas, e se planejam para realizar esse sonho assim que possível.

Estando em um relacionamento ou sozinhas, elas mantêm-se apaixonadas pelas responsabilidades e deveres relacionados aos filhos, e não veem problema algum em ceder um tempo e espaço de suas vidas para estar sempre disponíveis para os filhos, atendendo às suas necessidades com dedicação.

No entanto, para outras, saber lidar com as obrigações e as sérias mudanças com a chegada dos filhos pode ser um grande desafio. Ainda que amem as crianças e se esforcem para ser o melhor possível para elas todos os dias, a maternidade não é um conto de fadas, e sim uma luta diária.


Já contamos por aqui sobre uma mãe que afirmou com todas as letras que não gosta da maternidade, e hoje trouxemos o exemplo de uma famosa que vive a mesma situação. Em uma conversa no Rock Reclame (Kiss FM), a atriz Samara Felippo contou a sua experiência como mãe solo.

Ela foi casada com o jogador de basquete Leandrinho Barbosa, com quem tem as filhas Alicia, 12, e Lara, 7, e desde a separação, em 2014, tem exercido a função diária sozinha.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@sfelippo.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@sfelippo.


A atriz diz que, embora ame as filhas, “detesta ser mãe”, e até mesmo criou uma peça chamada “Mulheres que nascem com os filhos”, baseada em suas vivências. Samara explicou que a peça foi como um grito de “me deixem sentir o que eu quero sentir”.

Segundo a atriz, são muitas as mulheres que enfrentam esse desafio diariamente, de não conseguir se encaixar perfeitamente na função de mãe. No entanto, deixou bem claro que não é porque não gosta da função que deixa de amar suas filhas.

É possível ver, através do Instagram de Samara, que sua relação com as meninas é regada a amor e cumplicidade. Abrindo o coração sobre o tema, a atriz ainda fez um alerta para a sociedade, dizendo que o termo “mãe solteira” deveria cair em desuso, defendendo que o estado civil das mulheres “não interfere na maternidade”.

Em seu lugar, deveria ser adotado “mãe solo”, pois significa “sozinha” e não “solteira”. Debates sobre esse assunto são sempre muito relevantes, para que todas as mães possam se sentir compreendidas em sua função, buscando maneiras de lidar melhor com a realidade que vem junto com a maternidade.


Professora gasta todas as suas economias para adotar aluno e seu irmão caçula. “A maior bênção da minha vida”

Artigo Anterior

Depois de 12 anos vivendo nas ruas, homem passa em concurso e vira bancário: “Queria mudar de realidade”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.