Comportamento

Bruxelas tem “caixa de correio” para pais deixarem bebês indesejados

bruxelas tem caixa de correio para pais deixarem bebes indesejados

A decisão causou polêmica. Saiba mais sobre esta medida adotada pela prefeitura da cidade!



Ter um filho é um grande sonho de muitas pessoas. Poder criar uma criança semelhante a nós, oferecendo-lhe todo o nosso amor e segurança, e deixando uma “herança” para o mundo é algo muito especial e que motiva muitas pessoas a cada manhã.

No entanto, por mais linda que a ideia de uma família com filhos seja para alguns, para outros ela é vista como algo a ser evitado. Pelos mais diversos motivos, muitos homens e mulheres desejam seguir suas vidas sem filhos, e tomam todas as atitudes de prevenção possível para que nada aconteça fora dos seus planos.

Apesar disso, em alguns casos, as coisas acabam tomando um rumo diferente, e as crianças “indesejadas” podem nascer, o que provoca diferentes reações nos pais que são confrontados com uma nova vida para a qual não estavam preparados, inclusive o abandono.


Não é novidade o fato de que muitas crianças, do mundo inteiro e de todas as idades, são abandonadas à própria sorte, e essa realidade também é responsabilidade dos governos, que têm como missão direcioná-las a uma nova rotina, em que não estejam sozinhas.

A prefeitura de Evere, uma das comunas de Bruxelas (Bélgica), pensou em uma medida bem diferente para tentar lidar com os casos de abandono de crianças na região.

Foi instalada uma espécie de “caixa de correio” para os pais deixarem os bebês indesejados. Na verdade, trata-se de uma incubadora aquecida e segura, onde as crianças aguardam serem resgatadas pelas organizações que a instalaram, as quais assumirão os cuidados pelos pequenos.

Assim que um bebê é colocado no local, é enviado um sinal para a organização, que irá buscá-lo o quanto antes.


As incubadoras eram usadas há algum tempo, na cidade, mas foram proibidas em 2017, pelo então prefeito Pierre Muylle. Uma dessas incubadoras, criada pela organização de Antuérpia, Moeders voor Moeders, foi usada 18 vezes desde que foi instalada, em 2000, segundo dados de 2020 apurados pelo The Brussels Times.

Muylle acreditava que, autorizando a instalação das incubadoras, estaria “incentivando” as mulheres a abandonarem seus bebês, o que é contra a lei.

No entanto, o atual prefeito Ridouane Chahid se mostrou mais aberto a essa ideia e, em setembro de 2020, reuniu entidades para decidirem o que fazer em relação às incubadoras.

Segundo o The Brussels Times, Chahid disse que prefere que as crianças sejam encaminhadas para um lugar onde tenham futuro do que serem deixadas para trás, mas afirmou que teriam de encontrar uma maneira legal de fazer isso, o que incluiria constituir encarregados dos interesses das crianças.


O que você acha sobre isso?

Comente sua opinião abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!

Morre Paulo Gustavo de covid-19, aos 42 anos

Artigo Anterior

Nossa Senhora Aparecida, a santa do coração dos brasileiros!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.