Em luta contra depressão, o ator jim carrey resume perfeitamente como a doença nos atinge

5min. de leitura

Jim Carrey é um dos atores comediantes mais reconhecidos do cenário atual. Já ganhou diversos prêmios por suas atuações brilhantes e versáteis e, constantemente, nos ilumina com suas mensagens poderosas sobre a vida.

Jim luta contra a depressão, doença que atinge cerca de 350 milhões de pessoas no mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ele revelou o seu diagnóstico em 2004, durante uma entrevista a uma rede de TV americana e revelou que sua condição possui fases mais tranquilas e outras mais difíceis. Também comentou sobre como se pode disfarçar os danos da depressão: “Você consegue sorrir quando está no trabalho, mas continua em um baixo nível de aflição.”



Jim Carrey descreve sua situação

Jim voltou a falar sobre o assunto depois anos em entrevista ao site britânico I News. Ele diz que sua depressão vem em ciclos, mas que aprendeu a lidar com ela:

“Neste momento, eu não tenho depressão. Não estou vivendo uma experiência de depressão. Eu tive por anos, mas, agora, quando a chuva vem, chove, mas passa. Ela não fica mais tempo o suficiente para me deixar imerso e me afogar.”

Essa declaração de Jim Carrey foi muito importante, porque definiu de forma simples, mas clara, a forma como as pessoas que sofrem de depressão vivem, esclarecendo algumas questões importantes sobre a doença.


Muitos acreditam que a depressão é um estado constante, mas os sintomas podem variar de frequência e intensidade. De fato, a duração dos sinais é o que caracteriza uma tristeza comum da depressão.

Quando o sentimento intenso de desesperança e tristeza começa a afetar a qualidade de vida da pessoa, quase diariamente, por um período de duas semanas, no mínimo, a situação passa a ficar séria, de acordo com o superintendente técnico da Associação Brasileira de Psiquiatria, Antônio Geraldo da Silva.

Há ainda aqueles casos em que os sintomas não estão em sua fase mais crítica, mas a pessoa sente constantemente que há algo de errado e é dominada por aflição, agonia e até angústia.



Estereótipos de depressão

Ainda existem muitas concepções equivocadas sobre depressão espalhadas pela sociedade. Muitos são os que acreditam que aqueles que sofrem dessa condição passam o dia deitados na cama, sem força para se levantarem e conviverem em sociedade, quando, na verdade, grande parte das pessoas que têm depressão, vivem uma rotina “normal”, e são totalmente capazes de aparentar felicidade.

Jim Carrey mesmo é um grande exemplo, seguiu sua carreira e manteve o senso de humor, mesmo convivendo com a depressão.

No entanto, nem todos conseguem se manter fortes e otimistas frente a doença. Por isso muitas pessoas mudam sua rotina, e deixam de realizar muitas atividades diárias, de acordo com o funcionamento da doença.


Sempre é possível

O exemplo de Jim Carrey nos mostra que, com tratamento e autocuidado, a depressão pode ser controlada, e o paciente desenvolverá a capacidade de recuperar sua qualidade de vida e evitar recaídas, quanto mais se tornar familiarizado com os sinais de sua condição.

Se você ou alguém que conhece acreditam conviver com a depressão, o primeiro passo é a opinião de um profissional. Uma vez confirmada a condição, os tratamentos mais indicados, que incluem medicamentos, terapia e exercícios, são decididos junto com o apoio do médico.

É importante manter em mente a capacidade de vencer e viver sua melhor vida, aliada ao autocuidado e tratamento adequado. Nada é impossível!


Direitos autorais da imagem de capa: Antonelli/AGF/REX/Shutterstock

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.