Estou aprendendo a ficar calma…

4min. de leitura

Nada permanece o mesmo – isso é o que eu descobri quando cresci. É claro que eu sabia disso, mas ainda luto contra essa verdade. Eu quero entender. Quero dar sentido ao que está acontecendo à minha volta. Quero saber para onde estou indo e ver além do presente. Eu quero correr e pegar tudo, provar, girar até ficar tonta.



Mas algo que estou aprendendo é como desacelerar.

Algo que estou aprendendo é como ficar quieta.

Estou aprendendo a acalmar os pensamentos precipitados em minha cabeça.

Estou aprendendo a fechar os olhos e respirar profundamente, sentir o cheiro da terra, do céu, do perfume, das lojas, do algodão das roupas limpas, da fruta doce ao ar livre.


Estou aprendendo a deixar a vida acontecer – para mim e ao meu redor – e sorrir, mesmo através das tempestades. Estou aprendendo que você não pode ter as respostas na palma da sua mão ou escritas em uma folha de papel no bolso de sua calça, prontas para serem puxadas e lidas, quando a vida parecer se afastar de seu caminho.

Estou aprendendo que às vezes o que você sabe vai mudar drasticamente, e você só vai esgotar-se tentando manter-se, tentando correr quando só está destinado a andar, tentando fazer as pessoas te amarem quando elas estão destinadas a ser livres.

Estou aprendendo a ficar calma.

Estou aprendendo a fechar os olhos e perceber o tempo, ter um momento de permanência, em vez de deixá-lo rapidamente se desvanecer em uma memória. Estou aprendendo a saborear o presente e desistir de olhar para a próxima aventura, próxima coisa, próximo item na minha lista.


Estou aprendendo que não posso apressar minhas decisões, os planos de Deus, ou os sentimentos escritos no coração de outra pessoa. Eu não tenho controle sobre isso. Devo confiar, deixar ir, e deixar a vida acontecer.

Eu sou uma personagem no filme, não uma diretora, não aquela que pode reescrever o roteiro ou saber o que está por vir, não importa o quão duro eu tente. E estou aprendendo a confiar nisso.

Estou aprendendo a ficar firme e parar de lutar contra o curso natural dos acontecimentos, parar de ser tão teimosa quando o que eu acho que deveria acontecer não acontece.

Estou aprendendo que a calma não significa uma vida perfeita, mas me dá paz. Estou aprendendo que quando eu paro de correr desesperadamente, paro de me puxar em três direções diferentes, paro de pensar que tenho que saber tudo – fico em sintonia com as pessoas ao meu redor, mais forte na minha fé, e mais focado nas pessoas e coisas que realmente importam.

Estou aprendendo que, quando estou calma, não sou estática, mas forte. Estou preparada. Estou inteira.

Estou aprendendo que, quando estou calma, não estou olhando para o que está por vir, mas comemorando o que está acontecendo e pronta para o que Deus planejou para mim.

Estou aprendendo que a vida é ainda mais bonita quando eu paro de tentar ter as respostas, quando paro de tentar escrever o meu próprio caminho, quando paro de tentar ser continuamente algo, estar em algum lugar, e em vez disso apenas ser.

Estou aprendendo a ficar calma.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo Fonte: Thought Catalog

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.