Comportamento

“Eu nunca quis ser mãe e só tive um filho para fazer meu marido feliz”

Licenciada para o site O Amor: jackf/123RF Imagens.
1 Capa Eu nunca quis ser mae e so tive um filho para fazer meu marido feliz

Mulher resolveu desabafar em um fórum de internet sobre ser pressionada para ser mãe. Sua declaração reflete sobre o quanto as mulheres ainda são julgadas por suas decisões.

Não são todas as mulheres que sonham com a maternidade. Ser mãe é algo que precisa nascer no coração primeiro. Quando acaba sendo imposto, faz com que não exista a verdadeira vontade e torna-se uma obrigação, refletindo na vida da mulher e da criança.

Embora estejamos caminhando para um mundo mais gentil conosco, que respeita nossas decisões, ainda nos deparamos com padrões institucionalizados, que nos colocam dentro de uma caixa onde é necessário seguir uma norma para ser aceito.

Essas pressões podem acontecer de várias formas. A família acaba pressionando a mulher, alegando que ela precisa casar ou ter filhos para ser feliz e completa. Ao casar, o marido pode acabar impondo a vontade dele de ter uma criança e não entender a decisão da parceira de esperar um pouco mais ou de fato não querer ser mãe.

Muitas sofrem caladas e acabam cedendo, com medo de serem julgadas. Tornam-se infelizes por não ter o direito de escolha, e isso se reflete na maneira como passam a viver. Isso gera desconforto, sensação de culpa e insegurança.

Sentindo tudo isso, essa mulher que não quis se identificar, decidiu revelar que só teve filho para fazer seu marido feliz, com medo de que ele a trocasse por outra pessoa.

No seu relato, ela diz que nunca se imaginou mãe e nunca quis ter filhos, mas seu cônjuge a pressionou e ela se viu num impasse. A australiana contou que seu primeiro casamento terminou aos seis meses e, por ter 24 anos, poderia querer ser mãe mais para a frente. Ao conhecer seu segundo marido, ela já estava com quase 30 e aquele desejo da maternidade não tinha aflorado.

Percebeu que não era algo que ela queria. Casou-se aos 38 anos e foi pressionada a ter filhos imediatamente, porque seu marido não a aceitaria. Seu relato acabou viralizando e, com informações do The Sun, a mulher declarou que se deu por vencida e decidiu ser mãe para salvar seu casamento e não ser deixada.

Ela continua a declaração, dizendo que Ben, seu marido, não aceitava o fato de ela não ser maternal, pois vinha de uma família em que os casais tinham pelo menos três filhos. Por conta disso, imaginava que todas as mulheres tinham esse desejo e estranhou quando sua esposa não queria.

Diante disso, ele a convenceu de que ela teria de engravidar logo, pois a idade já estava avançando e a incentivou a suspender a contracepção. Ela admitiu que cedeu aos sonhos de seu marido ser pai, com medo de que acontecesse uma separação.

Seu filho tem 2 anos de idade e a mãe diz que o ama demais, com todas as suas forças, mas que deveria ter confiado mais em seus instintos. Declara-se que não é maternal e não foi criada para ser uma boa mãe, embora ache que desenvolve bem esse papel e cuida do filho com a melhor das habilidades.

Sente que faz o mínimo, apenas. Não consegue se enxergar naquele tipo de mãe que é toda planejada e que move o mundo pelo filho. Disse que foi uma libertação quando pôde voltar ao trabalho e colocar seu filho na creche.

Conclui que teria preferido a vida sem filhos, embora ame incondicionalmente o seu, mas reitera que não teria tido uma criança, se não fosse pela insistência do marido.

0 %