Comportamento

Ex-atleta Daiane dos Santos relata episódio de racismo: “Não queriam usar o mesmo banheiro que eu”

Ginasta fez história por ser a primeira mulher negra a alcançar o topo da modalidade de ginástica artística. Contou com detalhes o preconceito que sofreu por causa da sua cor.



Não importa em qual ano seja, racismo é inadmissível. É inacreditável que uma pessoa seja discriminada pela cor da sua pele, ainda mais nos tempos modernos, em que o conhecimento e a informação regem a nossa vida.

Preconceito racial interfere na qualidade de vida das pessoas. Muitos não conseguem bons empregos, sofrem com olhares de reprovação e tudo que fazem vira motivo para julgamento exagerado. E isso acontece com muita frequência no nosso país, que é altamente miscigenado.

A ex-ginasta Daiane dos Santos, em uma entrevista, comentou sobre o racismo que sofreu da própria seleção olímpica de ginástica. Com informações da revista Marie Claire, ela contou sobre os tristes episódios.


Daiane acredita que não existe uma pessoa preta que não tenha sofrido racismo uma vez na vida. Existem situações que são tão sutis, que não entendem o que estão passando, não sabendo identificar que o que aconteceu foi uma discriminação racial.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@daiane_gs_.

Ela se coloca como exemplo, dizendo que consigo sempre era sutil. Olhares diferentes, tratamento diferente, levantadas de voz. Não era algo escancarado e explícito, mas claramente o que ela sentia.

Declarou que aconteceram situações na própria seleção brasileira, de pessoas que não queriam ficar perto dela nem usar o mesmo banheiro. Simplesmente se recusavam! Disse que esse tipo de coisa a fez pensar que havia voltado à segregação, em que existiam banheiros para brancos e outros para pessoas pretas.


Relatou que isso não aconteceu apenas uma vez. Além da questão da raça, também foi discriminada por vir do Sul e não do centro do país, e ter origem humilde. Daiane afirma que tudo o que ela era se transformava em motivo para serem preconceituosos.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@daiane_gs_.

A ex-ginasta foi o primeiro ouro em campeonatos mundiais, e essa representatividade repercute pelo mundo inteiro. Pois, quando as pessoas veem uma negra em lugar de destaque, isso representa toda a comunidade preta.

Mostra que é um lugar possível de se atingir. Em relação aos esportes, não estão acostumados a ver atletas de pele escura, por isso a repercussão foi mundial. Daiane não foi apenas a primeira brasileira negra a ganhar ouro, foi a primeira ginasta do mundo a ganhar uma medalha de ouro na ginástica, afirmou.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@daiane_gs_.

Ela conclui que se fala sobre preconceito racial apenas na semana da Consciência Negra, em novembro, e finaliza relatando que não é negra em apenas um dia, e sim em todos. Que esse relato nos possibilite entender e respeitar cada vez mais as pessoas. Independentemente de cor, todos devem ser tratados com respeito!

Direitos autorais: reprodução Instagram/@daiane_gs_.

 


Mãe deve ser indenizada por trabalhar na licença-maternidade enquanto filha ficava em bacia

Artigo Anterior

Mãe faz filme sobre mudança de gênero do filho aos 15 anos e diz: “Sempre respeitei suas escolhas”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.