Comportamento

“Foi escrito há 200 anos”: criativo da Disney explica beijo “não consensual” em Branca de Neve

Nas redes sociais, o executivo defendeu que a cena do conto está correta. Entenda!



“Branca de Neve e os sete anões” é um dos contos de fadas mais populares do mundo. Milhares de crianças aprendem essa história ainda pequenas e estão a par de todas as dificuldades enfrentadas pela protagonista com a madrasta, até que consegue o seu “final feliz”.

Uma das partes mais famosas do conto é quando o príncipe encontra Branca de Neve em uma clareira, adormecida dentro de um caixão de vidro, e lhe dá um beijo de amor verdadeiro, que a desperta da maldição e lhes permite ficar juntos para sempre.

Por muito tempo, essa foi uma história vista como mágica e perfeita, transmitida de geração em geração, sem nenhum problema.


No entanto, de alguns tempos para cá, a clássica cena do beijo tem sido alvo de críticas de pessoas que não acham certo o beijo ter acontecido enquanto a personagem estava adormecida.

Em uma matéria ao SFGATE, os editores Katie Dowd e Julie Tremaine disseram que o beijo aconteceu “sem o consentimento” de Branca de Neve e que isso não pode ser uma demonstração de amor verdadeiro, já que, nesse caso, somente o príncipe sabia o que estava acontecendo.

Eles acrescentaram que o consentimento é um grande problema nos primeiros filmes feitos pela Disney, e que ensinar às crianças que o ato de beijar, sem que as duas partes estejam sabendo, é algo errado.

Esse é um ponto de vista compartilhado por muitas pessoas, mas existem aqueles que encaram a história de uma forma mais “branda”, como é o caso de Jim Shull, diretor executivo de criação do departamento de Imagineering da Walt Disney.


Em seu perfil do Twitter, ele decidiu se manifestar sobre o caso. Junto a uma foto que mostra a manchete de uma matéria da Fox News sobre o cancelamento da produção da Disney, Shull disse que, “permitindo que mudanças culturais ocorram ao longo de décadas (…) no contexto da história em que o filme se baseia, a viagem é precisa”, acrescentando que, ainda que as pessoas não gostem da história, é preciso reconhecer que a equipe de produção do filme “fez um trabalho espetacular!”

Direitos autorais: reprodução Twitter/@JimShull.

Em outro tweet, ele cita que a história de Branca de Neve, assim como de outros contos de fadas europeus, foram escritas há mais de 200 anos, com o propósito expresso de entreter e educar.

Ainda falando sobre o caso, Shull explicou que existe uma versão do conto de fadas em alemão que conta que a protagonista foi revivida quando um dos servos do príncipe deixa cair seu corpo, desalojando a maçã envenenada de sua garganta, sem a necessidade de beijo.


Direitos autorais: reprodução Twitter/@JimShull.

O que você pensa sobre isso? Acredita que é necessário adaptar os contos de fada à realidade atual?

Comente sua opinião abaixo e compartilhe o texto em suas redes sociais!


Recém-nascido é encontrado no lixo em Paraty

Artigo Anterior

Marido pede divórcio porque a mulher “não lava roupas e não cozinha”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.