Comportamento

Impedida de subir em ônibus por usar top, jovem desabafa: “Me senti discriminada”

Indignada com o episódio, a jovem foi até as redes sociais desabafar. Confira!



São muitos os lugares em que as mulheres têm suas entradas barradas por causa da forma como escolhem se vestir, especialmente nos últimos tempos.

Algumas vezes, essas expulsões são baseadas em normas de vestuário das empresas, mas o problema é que as clientes nem sempre sabem dessas regras, e costumam ser tratadas com hostilidade, o que dá início a grandes polêmicas, especialmente se os casos são compartilhados nas redes sociais.

Depois de a fisiculturista ter o embarque de uma viagem negado porque suas roupas “ofenderiam famílias”, uma jovem espanhola também se surpreendeu ao ser impedida de subir em um ônibus circular por conta do seu traje.


De acordo com matéria do El País, Cristina Durán, uma jovem de Valência, na Espanha, denunciou nas redes sociais que não foi autorizada a subir no ônibus por conta da sua roupa, que não seria bem-vista pelos demais passageiros.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@CristinaD20.

A jovem compartilhou uma foto do traje usado no momento, afirmando que consideraram como um “biquíni”, mas que na realidade era um top. Durán contou que se sentiu desacreditada, porque havia embarcado tranquilamente em outros dois ônibus com a mesma roupa.

Ao final da publicação, ela ainda questionou se aquilo se tratava de uma regulação ou discriminação. Não demorou muito para que a publicação da jovem se tornasse viral, e milhares de pessoas opinaram sobre o assunto.


Enquanto alguns manifestaram apoio à jovem, defendendo a liberdade de usarmos os trajes que desejamos, outros lhe perguntaram se aquilo era realmente um top. Outras pessoas se ativeram a tentar entender se existe alguma lei que impede pessoas de usarem transporte público com determinadas roupas.

A jovem afirmou que não existe nenhuma proibição, e que se existisse, deveria ficar bem visível no ônibus, para todos que utilizam o transporte. As proibições listadas pelo El País dentro dos transportes públicos são: fumar, consumir álcool ou drogas, entrar no ônibus cheio ou sair pela porta da frente, entre outras, mas nada relacionado a vestimentas.

Anaïs Menguzzato, ex-vereadora responsável pela Polícia Local de Valência, explicou em entrevista ao La SER que é permitido andar sem camisa ou de biquíni, embora seja encorajado pela polícia que a população use roupa no centro da cidade.

O departamento de comunicação da empresa de transporte coletivo de Valência informou que, logo após o ocorrido, contatou Durán para pedir mais informações sobre o ocorrido e acrescentou que analisaria internamente o caso.


Bianca Andrade afirma que criará o filho sem gênero: “Quero que ele seja livre”

Artigo Anterior

Pai de dois filhos adotivos, um biológico e enteados, Marcello Antony declara: “O mesmo amor”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.