Comportamento

Jovem se casa com “homem” que conheceu na internet e após 10 meses descobre que ele é uma mulher!

Foto: DepositPhotos
deposit

Ela pensou que havia encontrado o homem da sua vida, mas descobriu que estava sendo vítima de um grande golpe!

A internet tem se tornado um meio popular de conhecer pessoas e embarcar em romances. As redes sociais e os aplicativos de namoro estão desenvolvendo cada vez mais essas ferramentas para nos ajudar a encontrar a “tampa da nossa panela”.

No entanto, como já ouvimos diversas vezes de nossos pais e alguns amigos, precisamos ter muito cuidado ao nos abrir intimamente com alguém através das telas dos computadores e celulares, porque as chances de cair em um golpe não são poucas.

A seguir, contaremos um caso que prova que todo cuidado é pouco ao nos envolver virtualmente com outra pessoa. De acordo com informações do Mirror, uma mulher da Indonésia alegou ter sido vítima de um golpe bizarro em um namoro virtual.

Identificadas por suas iniciais, a vítima NA relatou que conheceu AA em um aplicativo de namoro em maio de 2021, o qual lhe disse ser um cirurgião treinado nos EUA e empresário do ramo de carvão, além de recentemente ter se convertido ao islã e estar à procura de uma esposa.

A conversa foi fluindo, NA ficou cada vez mais interessada no suposto homem, acreditando se tratar do amor de sua vida, e três meses depois eles se casaram em um nikah siri (casamento secreto), termo usado na Indonésia para casamentos não registrados, que são reconhecidos pela religião, mas não pelo Estado.

Como o suposto noivo não tinha como apresentar os documentos necessários para um registro da união civil, seu casamento não foi sancionado pelo Estado. Eles passaram a morar juntos na casa dos pais da mulher.

No entanto, o casamento que parecia ser uma ótima opção para NA acabou despertando a atenção de seus pais quando AA começou a pedir-lhe dinheiro com muita frequência, além de sempre se esquivar de mostrar suas credenciais profissionais.

A golpista, que já estava preocupada com a situação, resolveu levar a esposa para morar em outro local, e no novo lar a confinou por vários meses, impedindo-a de manter contato com qualquer outra pessoa e controlando suas finanças.

A mãe de NA sabia que algo estava errado, então entrou em contato com a polícia, que encontrou o paradeiro do casal após algumas buscas. Diante da situação de NA, os policiais levaram a golpista para interrogatório, descobrindo que seu nome não era aquele, sendo EY as iniciais do nome verdadeiro. O pior de tudo foi descobrir que nem mesmo homem ele era, mas sim uma mulher disfarçada durante todos esses meses!

NA, que resolveu compartilhar sua história nas redes sociais como forma de alerta, foi questionada pelos internautas como ela não havia suspeitado de nada durante os atos sexuais, e explicou que o “marido” sempre apagava as luzes e a vendava antes do sexo.

À polícia, a golpista disse que usava as mãos para dar prazer à esposa, mas a vítima disse ter certeza de que a EY usava dispositivos sexuais penetrantes durante o ato sexual.  Também alegou que a EY tentou assassiná-la dizendo-lhe para pular em um rio, mesmo ela não sabendo nadar.

Nos dez meses de casamento, a família alegou ser vítima de um golpe financeiro equivalente a mais de R$ 104 mil. Os pais da vítima denunciaram a EY às autoridades por fraude de registro educacional, que pode ser a primeira de muitas acusações contra ela e pela qual pode pegar até dez anos de prisão.

Esse processo está em andamento no Tribunal Distrital de Jambi.