publicidade

Lutador de MMA encoraja seu filho a bater em outra criança da escola. Sua atitude gerou polêmica

Conor McGregor causou alvoroço em suas redes sociais por causa de um vídeo no qual falava para seu filho bater em uma criança que o havia “acertado” por trás.



A atitude de um pai muito diz na criação e no reflexo desse filho em seu comportamento. Um pai, quando ensina para sua criança que ela precisa se defender, às vezes, faz isso de forma figurativa, não incitando a violência. Mas, para outros, a única solução é partir para esse tipo de conduta.

Lutadores profissionais têm uma imagem de brutamontes, bravos e impiedosos. Claro, essas são características dentro dos ringues. Eles precisam vender a imagem de serem hostis e perigosos, para que os adversários sintam medo.

A verdade é que a maioria são calmos e centrados, pois precisam disso para dar tudo de si numa luta. As artes marciais não ensinam ninguém a ser agressivo, e sim, resilientes para usar do autocontrole e chegar à vitória.

Mas existem outros que vivem o esporte em todos os seus momentos, inclusive na criação dos filhos.


Conor McGregor provou que a luta para ele não fica apenas dentro do octógono. Ele já se viu em várias outras polêmicas, levando a luta para fora do âmbito profissional e causando brigas e confusões.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Conor Mcgregor.

Em um vídeo, o lutador compartilhou um bate-papo despretensioso na praia, com o filho de 3 anos. No início, parecia uma conversa motivadora, mas enquanto conversavam sobre o pingente do pai, que é o símbolo da família, o menino contou que alguém bateu nele por trás.

Foi nesse momento que a fala e a atitude do pai causaram controvérsias. O lutador não perguntou o que tinha acontecido, apenas “aconselhou” seu filho a bater na boca da outra criança, ainda perguntou o que ele esperava para tomar a atitude.


Muitos fãs na publicação ovacionaram Conor, dizendo que é dessa forma que os pais precisam ensinar seus filhos a se defenderem de possíveis valentões.

Já outros questionaram se isso era realmente necessário, pois o filho tem apenas 3 anos e não se sabe realmente qual foi a causa da briga. Incitar a violência entre crianças nunca foi a solução para nenhum tipo de problema, disparou outro seguidor.

Entre diversos comentários, muitos começaram a “cancelar” o lutador, relatando que a maneira como ele estava passando a mensagem ao seu filho era errada. Além de ser prejudicial, porque é uma figura conhecida, isso contribuiu negativamente para a imagem das artes marciais.

O que acha da conduta do lutador? Concorda com ele?

Comente abaixo e compartilhe o texto em suas redes sociais!

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.