Comportamento

Mãe afirma que restaurante chamou a polícia para retirar sua filha por usar roupa “imprópria”

Um episódio muito desagradável marcou o jantar de uma família nos Estados Unidos. Confira!



A formatura no ensino médio é uma data muito importante para os jovens, pois marca o final de um período muito importante da vida e representa o início de outro, a faculdade e o começo da vida adulta.

Por isso, antes de assumir novas responsabilidades, muitos jovens aproveitam esse dia de celebração para estar ao lado da família e dos amigos. Esse é o caso da jovem Sanai Butler, de 17 anos, que vive nos Estados Unidos.

O seu dia tinha tudo para terminar de forma perfeita, mas um episódio inesperado interferiu nessa data especial. Segundo contado pelo portal The Times-Picayune (Nola), a jovem tinha saído da festa de formatura e sua mãe a deixou escolher o restaurante onde quisesse comemorar com a família.


Sanai, então, escolheu o Lula Restaurant Distillery, aonde chegou acompanhada de 28 pessoas, entre parentes e amigos.

No entanto, o que deveria ser uma refeição feliz, tomou um caminho inesperado porque uma mulher, que se identificou como esposa do proprietário, ligou para a polícia, afirmando que não gostou da parte de cima do biquíni que a jovem usava, segundo a família.

A polícia não prendeu ninguém. La Shawn Butler, mãe de Sanai, afirmou que a decisão do restaurante, de envolver a polícia no assunto, foi “excessiva e dolorosa” e que sentiu que teve motivações raciais, já que tanto a jovem quanto os acompanhantes são negros.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Tamika Butler-Boutte.


A mulher disse que, ao chegar ao restaurante, ninguém disse nada sobre o         da menina, e que a mulher que chamou a polícia abordou a adolescente no banheiro, dizendo que deveria colocar uma blusa, porque sua roupa era “muito inadequada”.

La Shawn afirma que ela deveria ter sido procurada, como mãe da jovem, para qualquer reclamação, e acredita que o grupo, que gastou mais de R$ 10 mil no local, teria sido tratado diferentemente, se fosse formado por pessoas brancas.

O restaurante postou um comunicado em seu perfil no Facebook explicando que a ligação foi feita depois de “uma altercação verbal”, para garantir a segurança de todos os clientes.

O Lula Restaurant também se desculpou com todos os presentes e com quem sentiu que foi discriminado por seus trajes ou raça, afirmando que está avaliando o que deveria ter sido feito de forma diferente para garantir que o ambiente seja agradável para todos.


Uma funcionária recém-contratada do restaurante deu uma declaração ao portal de notícias dizendo que se sentiu tão “enojada” com o ocorrido, que pediu demissão.

Que situação complicada. Qual sua opinião sobre o caso?

Comente abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!


Motorista de ônibus leva jovem de graça a entrevista e ela consegue emprego: “Anjo sem asas”

Artigo Anterior

Esta noite, Deus ungirá sua vida. Bênçãos de prosperidade o aguardam pela manhã!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.