Comportamento

Mesmo não podendo nunca mais ingerir alimento sólido, mulher não desistiu do sonho de cozinhar

Apesar de sua grave limitação, Loretta não perdeu a paixão pela gastronomia e hoje é uma grande chef de cozinha!



Existem histórias que causam dor e sofrimento, mas o ser humano tem uma capacidade incrível de se adaptar e usar as dificuldades como trampolim para agarrar as oportunidades!

Quando passamos por complicações, mesmo que no momento não consigamos encontrar saída, esses acontecimentos nos fortalecem, lapidando o que há de melhor em nós. A resiliência.

A superação faz com que a vitória seja ainda mais doce. Ao chegar à reta final, percebemos o quanto somos capazes de ir além de nossos limites, para que tudo fique bem!

Loretta Harmes tem uma jornada de vida um pouco diferente das outras pessoas. Ela não come há seis anos! Mas isso não foi suficiente para fazê-la desistir de seu sonho. Hoje é uma grande chef de cozinha. Mesmo não podendo provar suas receitas, está se tornando um fenômeno, com números crescentes em suas redes sociais!


Direitos autorais: reprodução Instagram/ @ the.nil.by.mouth.foodie. 

Quando Loretta era criança, ela e sua avó reproduziam receitas famosas de programas culinários. A chef disse que sua avó serviu de inspiração para ela gostar de cozinhar. Foi quando criança que começou a fazer os assados de macarrão com tomates de sua mãe. Os pratos preferidos da família feitos por ela eram almôndegas e salada de frango.

De acordo com a BBC, Loretta comenta que não tinha nenhum problema alimentar na infância. Lembra que os problemas começaram na adolescência. Aos 15 anos, teve anorexia e, após esse episódio, começou a se queixar de desconfortos digestivos, mas nada muito sério.


Ao terminar o ensino médio, ela conseguiu uma vaga nas melhores faculdades de artes culinárias de Londres (Inglaterra), mas por conta dos problemas que passou a ter, conseguiu completar apenas um ano do curso. Não conseguia sair da cama por causa de tanta dor.

Todas as vezes que se alimentava, sentia uma dor intensa na barriga, além da sensação de ter comido muito e estar pesada. O mesmo acontecia quando ingeria líquidos. Sentia que seu estômago parecia explodir de tanto desconforto.

Os cinco anos foram de sofrimento e pesadelo, pois os médicos diziam que o que ela sentia era consequência da anorexia.

O que a deixou completamente instável emocionalmente, sentindo-se culpada por ter feito aquilo com o próprio corpo. Loretta passou mais de dois anos em unidades de saúde que tratavam de pessoas com transtornos alimentares. Lá ela era obrigada a comer e isso a deixava desesperada, porque não acreditavam que ela sentia dor ao se alimentar.


As coisas foram piorando de tal forma que ela não ia ao banheiro por semanas. O fato de sua saúde estar piorando causou-lhe depressão profunda. O que não entendiam era que, segundo ela, sua depressão era por causa da dificuldade intestinal e estomacal, mas não acreditavam. Todo o diagnóstico era relacionado ao seu transtorno mental. Por conta disso, ela era importunada e obrigada a comer.

Ela se debatia e contorcia muito após as refeições. Era impedida de ir ao banheiro para vomitar, pois acreditavam que tudo aquilo fazia parte do transtorno alimentar.

Anos mais tarde, Loretta teve o diagnóstico correto. Ela sofria de uma síndrome (Ehlers-Danlos hipermóvel), uma desordem genética que se manifesta de maneiras diferentes. Com o teste que fez, foi possível identificar que seu estômago estava paralisado e não digeria os alimentos nem se esvaziava, por isso as dores e o mal-estar.


Finalmente, depois de anos de sofrimento, desacreditada e mal diagnosticada, havia um resultado para tudo o que passou!

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @ the.nil.by.mouth.foodie.

Além de não poder se alimentar, ela também tem outros sintomas, como enxaqueca, fadiga e dores no corpo, precisando inclusive de cirurgias para aliviar. Essa doença é rara e não há muitos estudos relevantes sobre ela.

Quando foi diagnosticada com a síndrome, o médico avisou a família que Loretta não poderia mais ingerir nenhum alimento sólido.

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @ the.nil.by.mouth.foodie.

Após sua última refeição, seis anos atrás, ela foi submetida a um procedimento para colocação de um tubo ligado ao seu sistema digestivo. Usa uma bolsa de alimentação, onde o líquido passa pelo trato digestório e vai direto para a corrente sanguínea.

Apesar de sua condição, Loretta leva uma vida normal e decidiu continuar seu desejo de se tornar um guru da gastronomia.

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @ the.nil.by.mouth.foodie.

O que a faz ser diferente de qualquer outro, pois suas criações alimentares não são provadas por ela. A melhora de sua saúde a fez ser uma brilhante chef de cozinha! Com a ajuda de sua colega de apartamento, Amy, ela prova suas inovações e fotografa os pratos.

Com isso, vem sendo muito conhecida e um grande exemplo de superação e inspiração!

Mesmo com as dificuldades, ela deu a volta por cima! Sua condição a fez ser única no mundo! Para concluir, ela diz que cozinha com os olhos, nariz e instinto. Não tem vontade de comer porque o alívio por não sofrer de dores supera tudo.

Que história! O que achou deste relato?

Comente e compartilhe-a em suas redes sociais!

Envergonhado, filho pede que mãe troque de roupa urgentemente porque estava mostrando demais

Artigo Anterior

Mulher indígena vira artesã e cria bonecas para vencer preconceito. Exemplo de superação!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.