Comportamento

“Meu corpo não é um ornamento, é um instrumento”: mãe desabafa sobre o tóxico padrão de beleza

Zia é mãe solo e fez um poderoso desabafo na internet sobre o quanto mães sofrem com a pressão estética para voltar ao corpo de antes da gravidez!



Zia Robinson relatou ao site Scary Mommy o que muitas mães sentem após parir seus filhos. Ela inicia seu relato dizendo que seu corpo cresceu e deu à luz três preciosos filhos. Seu corpo deu abrigo e cuidou dessas crianças, enquanto estavam em formação e se desenvolvendo. Também foi seu corpo que suportou a terrível dor da perda.

Houve traumas físicos, mas o corpo dela superou. Disse que não sente vergonha dele, pois o que enxerga é a força de uma mãe e muita determinação. Antes de ter o primeiro filho, ela lutava contra seu biotipo e, por conta da alimentação desordenada, sentia vergonha de quem era.

Mas as coisas foram mudando, com muito esforço, à medida que seus filhos foram nascendo. Mikey, o primogênito, fez com que Zia despertasse, começando a nutrir um amor que estava esquecido pelo seu corpo.

Não havia motivos para ela se odiar, afinal de contas, aquela estrutura corporal foi responsável pela vida de seus filhos. Foi aí que ela viu que seu corpo não era um ornamento, e sim um instrumento, assim percebeu o quanto aquilo era poderoso. A maneira como se viu mudou completamente.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@mamabearziablog.

Seu corpo fez tudo o que foi projetado para trazer seus filhos ao mundo. Não tenha vergonha dele ou das estrias, da pele flácida. Todas essas transformações contam a melhor parte de sua história.

Ela relata que a maternidade serviu para transbordar seu amor. E, além dos filhos, passou a se amar. E sua aparência não foi mais um problema. Não tem do que se envergonhar. Seus filhos nunca a ouviram falar uma palavra negativa sobre seu corpo.

Quando uma mãe se ama e se aceita, ela mostra para suas crianças o quanto é poderosa. E ao fazer isso, ela lhes dá permissão para fazerem o mesmo. Os filhos não vão se importar com pele em excesso, seios caídos, estrias na barriga. Querem uma mãe que se divirta com eles, que caia na piscina, que brinque, que não fique presa a um estereótipo que só machuca.


Zia ensinou uma poderosa lição para todas as mulheres: o corpo de uma mãe entrega aos seus filhos todo o amor que existe dentro de seu coração e alma!

O que achou desse relato? Concorda com a opinião de Zia? Conhece alguma mãe que passa por tormentos em relação ao corpo?

Comente e compartilhe este texto!


Aos 47 anos, atriz Danielle Winits declara: “Meus medos envelheceram, o poder da idade é libertador”

Artigo Anterior

“Ser avô é uma bênção”, declara Xororó, que demonstra seu amor ao fazer brinquedo para os netos

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.