publicidade

Modelo com axilas naturais lidera campanha da Adidas. Quebra de padrão e normalização dos pelos femininos

Leila Davis foi escolhida para a nova coleção de roupas esportivas da marca. Mas o que chamou a atenção foram as críticas que ela recebeu por ter pelos nas axilas.



Mulheres sabem mais do que ninguém o tanto que sofrem com as pressões estéticas que a sociedade lhes impõe. O que é vendido como bonito e agradável aos olhos nem sempre é motivo para conforto.

Há vários anos que a indústria da beleza exclui e discrimina certos corpos femininos. Muitas mulheres não se sentem representadas por grandes marcas, algo que veio mudando, graças aos esforços de conscientização que mostram a beleza na realidade.

Quando grandes marcas democratizam a beleza, alcançam um número muito maior de consumidores. Ficam conhecidas tanto pelo nome, quanto pelo engajamento.

Foi o caso da Adidas, que há algumas semanas lançou uma coleção de roupas esportivas, e o foco justamente foi na modelo. Uma mulher negra, com as axilas não depiladas causou certa polêmica.

Leila Davis é dançarina e coreógrafa de poledance. Foi escolhida para liderar a campanha e o detalhe dos pelos em suas axilas chamou muito a atenção, embora o intuito do catálogo era apenas de naturalizá-los.


A própria modelo usou seu Twitter para falar sobre o assunto e ainda disse que uma mulher é muito criticada por não se depilar, sendo que não falariam nada se fosse um homem estrelando a campanha. Continuou relatando que, além de tudo, o fato de ser negra pareceu causar ainda mais raiva nas pessoas, que chegaram a ofender com comentários relacionados à higiene.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@adidaswomen.

Em resposta às pessoas que proferiram tais críticas, ela diz que ficaram bravas porque uma grande marca enxerga a mulher de forma diferente, e não padronizada como tantas outras. A Adidas também defendeu seu posicionamento, salientando que seu compromisso é atender a todas as necessidades dos atletas e representá-los, sem excluir ninguém.


Não é de hoje que a marca aposta na naturalização dos pelos femininos. Em 2017, de acordo com o site Metropoles, a Adidas também lançou uma campanha estrelada por modelo com pelos nas pernas. Tal qual agora, a modelo foi alvo de comentários ofensivos.

Uma coisa é certa: a liberdade para a mulher ser o que quiser, vestir o que gostar e se depilar ou não chegou. Mesmo com a sociedade falando contra, a era da quebra de padrão já está acontecendo. Isso vale para qualquer tipo de corpo que não esteja no padrão. As empresas e grandes geradores de conteúdo já entenderam que a inclusão é a chave para o sucesso.

E você, o que achou da campanha da marca?

Comente e compartilhe este texto em suas redes sociais!

Baixe o aplicativo do site O Amor e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.