Comportamento

Modelo trans deseja ser mãe e fala sobre transplante de útero: “Não quero estar sozinha no futuro”

Jéssica Alves revelou que gastará cerca de R$ 221 mil na cirurgia, mas que vale a pena realizar seu grande sonho.



Conhecida como Barbie Humana, Jéssica Alves está nos holofotes da fama há um período considerável. Recentemente, ela falou sobre o procedimento de transplante de útero que deseja, porque seu sonho é ser mãe.

Segundo informações da revista “Isto É”, a modelo deu uma declaração para o programa “SuperPop”, apresentado por Luciana Gimenez, no qual disse que gastará R$ 221 mil na cirurgia de transplante de útero.

Jéssica ficou conhecida como “Ken humano” antes de fazer a cirurgia de redesignação sexual. Ela gastou mais de R$ 5 milhões em 75 plásticas. Vivendo no Reino Unido desde os 19 anos, ela conta como foi sua transição e declara que sempre soube que havia uma mulher dentro de si, mas lutava contra isso.


Foi esse sentimento que lhe deu força para assumir sua transexualidade e passar pela cirurgia. Depois de sua transição, a modelo e influenciadora disse que está em um momento da vida em que se sente bastante maternal.

Declarou que gostaria muito de ter os próprios filhos, que ama crianças, que quer passear com elas sempre, pois é um sonho construir uma família. Relatou também que pensa muito no futuro e não quer estar sozinha, quer uma extensão sua. Acontecendo a cirurgia, Jéssica será a primeira mulher trans a passar pelo procedimento.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@jessicaalvesuk.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@jessicaalvesuk.


Aos 38 anos, a modelo explicou que inicialmente o transplante de útero foi idealizado para mulheres que tiveram problemas e precisaram tirar o órgão ou passaram por câncer. Mas isso não exclui uma mulher trans de poder receber o transplante, pontuou.

Procurou diversos médicos em várias partes do mundo e alguns lhe explicaram que o que muda é o tipo de tratamento, pois para poder engravidar, será necessário fazer fertilização in vitro, mesmo com o útero transplantado.

Aos 38 anos, Jéssica comentou sobre a fala do último médico que consultou. Como ainda essa cirurgia não foi realizada em uma mulher trans, a possibilidade de perder a criança é grande por causa da fisiologia.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@jessicaalvesuk.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@jessicaalvesuk.

A operação oferece riscos, uma vez que o corpo de uma mulher biologicamente do sexo feminino tem a estrutura pélvica que se expande para acomodar o bebê, e no corpo de uma mulher trans, isso não acontece. Jéssica disse que, caso não consiga gerar, não descarta a adoção, pois o seu sonho de ser mãe é válido de qualquer forma, concluiu.

Uma mulher sábia não deposita todas as fichas em um relacionamento, e sim nela mesma!

Artigo Anterior

Maratonista perde filho de 6 anos para o câncer e usa cinzas em tatuagem: “Ele vai correr comigo”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.