Comportamento

Musa plus size conta como o amor-próprio a ajudou: “Superei a violência doméstica virando modelo”

Hoje, aos 45 anos, Elaine Ribeiro tornou-se exemplo que enaltece as mulheres que por muitos anos ficaram fora do padrão de beleza.



Atualmente, muitas mulheres estão se aceitando graças a outras que começaram a exibir suas belezas fora dos padrões que a indústria da moda ensinou. Por muitos anos, o culto ao corpo magro e definido fez com que milhares de representantes femininas corressem para as academias e dietas mirabolantes que mais as prejudicavam do que ajudavam.

Quando vemos que o padrão estético está mudando e as mulheres estão se aceitando ao natural, é reconfortante, pois o estereótipo de beleza aprisiona e machuca muitas que não estão no “padrão aceitável” do belo.

Elaine Ribeiro contou sua história ao Universa. Ela disse que desde os 8 anos de idade queria ser modelo. Conseguiu realizar seu sonho, mas passou por grande sofrimento e profunda depressão, que hoje já está superada.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@elaine_plussizemodelo.

 

Aos 45 anos, ela diz que se libertou e se ama por completo, e conseguiu ser musa plus size. Chegar a esse estágio de felicidade lhe custou bastante sofrimento e obstáculos. Por causa de seu biotipo, ela disse que não tinha ninguém por perto que a apoiasse.

Pelo contrário. Seu sonho era motivo de risos e piadas, pois não a levavam a sério. Mesmo assim, não desanimou e começou a participar de concursos às escondidas. Ganhou o Miss Chorinho da Baixada Santista e, depois disso, sua carreira parecia decolar, chegando a aparecer até na revista Playboy.


Mas desistiu de modelar por causa do ex-marido. Casou-se supernova, aos 22 anos, e ele não gostava do seu trabalho, por esse motivo ela largou tudo. Passou por muitos episódios de humilhação, em que sua autoestima ficava cada vez mais inexistente. Depois de muito aguentar, separou-se e, tempos depois, casou-se novamente. Essa segunda relação foi ainda mais traumática, pois Elaine sofreu ameaças e foi vítima de violência doméstica.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@elaine_plussizemodelo.

O ciúme era infundado e descontrolado, chegando a colocar gravador no carro para escutar as conversas dela com as amigas. Mesmo diante de tudo isso, Elaine não conseguia sair da relação por não enxergar que era um relacionamento abusivo.

O sofrimento foi tornando-se cada vez maior e só conseguiu se separar depois que a família percebeu como estava sua vida e interveio. Por causa de tudo o que passou, a depressão se instalou e Elaine conta que só conseguiu vencê-la quando decidiu ser modelo novamente.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@elaine_plussizemodelo.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@elaine_plussizemodelo.

Aos 41 anos, virou Miss Santos e não parou mais. Está se superando cada vez mais e gosta muito de ser um exemplo para tantas outras que não se aceitam por causa das amarras da sociedade, que insiste em vender um padrão de beleza irreal.

Como passou a ser inspiração, ela diz que se sente muito feliz e realizada ao ver que consegue motivar várias mulheres da sua idade a correr atrás dos próprios sonhos. Que sua história perdure por muito tempo e faça muitas acreditarem em si mesmas!



Se você presenciar um episódio de violência contra a mulher ou for vítima de um deles, denuncie o quanto antes através do número 180, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.

Ela abandonou o Direito depois da morte do pai pedreiro. Hoje é mestre de obras e sustenta a família

Artigo Anterior

Menino morto pela mãe no RS era obrigado a escrever frases ofensivas em caderno, diz polícia

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.