Comportamento

Pai vende carro para pagar gastos de R$ 9 mil do filho em jogo de celular

pai vende carro

O que aconteceu com esse pai em Colwyn Bay, no norte do país de Gales, com certeza é um dos pesadelos de muitos papais e mamães.



As histórias de crianças gastando valores exorbitantes na App Store acontecem de tempos em tempos, mas poucas são tão dolorosas quanto essa ocorrida com o médico Muhammad Mutaza.

O filho de Muhammad, chamado Ashaz e de 7 anos gastou nada menos que £1.289 (cerca de R$9 mil) em compras internas de um jogo do celular. A princípio, o jogo é gratuito, mas cheio de itens internos e pagos.

O jogo em questão se chama Dragões: a ascenção de Berk, baseado na franquia “Como treinar o seu dragão”.


O pai do pequeno revelou que não sabe como o filho conseguiu driblar as proteções da App Store, mas acredita que o garoto tenha memorizado a senha do ID Apple observando-o usar o smartphone.

Ele ainda disse que achava que os 29 e-mails das cobranças que havia recebido, eram golpes. Até que percebeu que os gastos tinham de fato acontecido. Segundo Mutaza, Ashaz passou apenas uma hora jogando. O médico explicou que nunca imaginaria que um incidente do tipo aconteceria, já que ele não deixa o filho baixar jogos pagos.

O resultado é uma situação bem complicada. Mutaza conseguiu uma restituição de £207 da Apple, mas o restante da quantia não pôde ser devolvido. A fatura do seu cartão de crédito foi quase totalmente ocupada pelos gastos. Assim, o médico precisou vender o carro da família para cobrir as dívidas.

Mutaza revelou que não quer mais saber da Apple, e disse que acha desonesto a falta de limite da empresa. Segundo ele, a Apple potencialmente permite que um usuário desavisado gaste “1 milhão de libras em meia-hora”, e disse que não gastará mais um centavo com os produtos dela. Mutaza também está considerando entrar com uma ação contra a companhia.


Muhammad Mutaza 696x356 1

Direitos autorais: reprodução.

A empresa Apple, por sua vez, deu resposta à publicação do caso no Daily Mail, e listou uma série de funcionalidades oferecidas pela empresa para evitar esse tipo de incidente, como o Compartilhamento Familiar do iCloud, os controles parentais e o recurso “Pedir para Comprar”.

Há seis anos, casal adota apenas crianças com deficiência: “Enxergamos o valor dos marginalizados”

Artigo Anterior

Empresário morre na própria festa de aniversário, após explosão de barril de chopp

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.