Comportamento

“Proíbo outras crianças de brincarem com brinquedos do meu filho, não me importo se pareço um monstro”

Essa mãe afirma que ensinou aos filhos que compartilhar brinquedos é similar a roubo, e rejeita a ideia de que suas crianças devem emprestar seus pertences.



É muito particular a maneira como uma mãe cria seus filhos. Cada uma sabe do que é melhor para eles, e geralmente suas atitudes são padronizadas de acordo com o que a maioria faz. Mas quando a maneira de uma mãe ensinar lições para seus filhos difere da usual, um debate é iniciado.

Laura Mazza tem 33 anos e decidiu compartilhar sua maneira de criar os filhos em seu Instagram . Em uma de suas publicações, disse que não deixa outras crianças brincarem com os brinquedos dos filhos, e não se importa se parece um monstro fazendo isso.

Segundo informações do The Sun, Laura rejeita a ideia de que compartilhar é cuidar. Ela conta uma história que aconteceu com sua filha e achou a melhor maneira de lidar com a situação, de acordo com a sua opinião.


Sua filha de 4 anos está bem ligada a alguns objetos, principalmente ao seu cobertor e seu ratinho de brinquedo. Enquanto estavam em um parque, algumas crianças quiseram brincar com o rato da menina e insistiram  em que ela desistisse e entregasse o brinquedo a eles.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@itslauramazza.

Essas duas crianças foram até suas mães e Laura ouviu de uma delas que compartilhar é cuidar e que deveriam falar com Sofia para brincarem com seu brinquedo. E assim elas fizeram, pegaram o ratinho da mão de Sofia. A menina olhou com tristeza para a mãe, que gentilmente pediu que lhe devolvessem o brinquedo.

Uma das crianças disse que sua filha deveria compartilhar para que todos brincassem juntos, mas Laura não deixou. Disse que a verdade era que sua filha não queria compartilhar porque o brinquedo é dela, não precisa emprestar para ninguém.


Em casa, explicou para os filhos por que é necessário falar “não” e revelou que acha que compartilhar é roubo, por isso proíbe outras crianças de brincarem com os brinquedos dos seus filhos.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@itslauramazza.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@itslauramazza.

Laura declara que pode parecer um monstro, mas essa é sua opinião. Ressalta que compartilhar é uma forma de roubo socialmente aceita, e sua filha não precisa disso. Não vai ensinar aos filhos que devem entregar algo quando não querem, isso é passar por cima da autoridade deles. Concluiu dizendo que brinquedos comunitários podem ser compartilhados; os pessoais, não.


A criança que o trouxe tem total direito de não emprestá-lo. Laura finaliza dizendo que ensinou à sua filha o poder do “não” e que ela tem o total direito de estabelecer os seus limites e os outros precisam respeitar sua opinião, mesmo que seja de uma criança. Forçá-la a algo que não quer é a pior forma de criação.

“Não estamos aqui só para ter bebês ou cuidar de homens”, diz Salma Hayek sobre críticas ao seu corpo

Artigo Anterior

Aos 54 anos, faxineira é aprovada em Biologia, na Unesp: “Conquistei essa tão sonhada chance”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.