5min. de leitura

Quem não consegue controlar a si mesmo, tenta controlar aqueles ao seu redor

Algumas pessoas não conseguem controlar a si mesmas, pois não se conhecem verdadeiramente. Elas não se permitem tempo para descobrir mais sobre si mesmas, o que as fazem felizes ou não. Dessa maneira, nunca sabem exatamente o que fazer com as próprias vidas.

Como não possuem controle sobre as próprias vidas, elas buscam no controle externo a gratificação interna de que necessitam para terem uma imagem positiva de si mesmas. Assim, seus relacionamentos sociais são sempre marcados por um domínio tóxico e sufocante, que priva as outras pessoas de sua integridade emocional.



Essa necessidade excessiva de controlar tudo que existe ao nosso redor é um mecanismo de defesa que usamos para lidar com coisas que percebemos como ameaças para nós mesmos.  Se você desempenha esse comportamento em sua vida, entenda que ele não lhe faz bem, apesar de trazê-lo uma gratificação imediata. Quando focamos nossa atenção em outras pessoas, deixamos de cuidar de nós mesmos, e isso nos traz consequências negativas.

Sentimentos como insegurança, baixa autoestima, falta de amor-próprio e desconhecimento sobre si mesmo impulsionam o desejo de controle externo, e a pessoa que se vê nessa situação acaba por centrar sua atenção no outro, buscando nele o que falta em si mesma.

Podemos reconhecer esses comportamentos em muitas pessoas com as quais convivemos, principalmente em figuras autoritárias, que fazem questão de que todos trabalhem em favor do seu bem pessoal, sem se importarem com nada além de si mesmas.



A relação entre a necessidade de controle e a falta de autonomia emocional

O padrão da necessidade de controle é encontrado em muitos contextos sociais e tipos de relacionamento, desde o chefe que não permite que seus funcionários tenham suas próprias opiniões, os pais que tentam controlar cada passo dos filhos, e também os amigos que são manipuladores e tóxicos. Quando estamos em um relacionamento com uma pessoa controladora, podemos perceber que nossa liberdade está se esvaindo lentamente, enquanto nos submetemos, mesmo sem perceber, ao controle de outra pessoa.Sabemos que as pessoas controladoras são movidas por sua falta de autoconhecimento e estabilidade emocional. E, além de quererem controlar o mundo ao seu redor, também muitas vezes escolhem algumas pessoas para “alimentarem” seu espírito e alma, porque não consegue se fazerem felizes por conta própria.


Quando nós somos os controladores

Apesar de termos a tendência de analisar o outro em primeiro lugar, precisamos fazer uma reflexão sobre nossos próprios comportamentos, porque muitas vezes somos nós quem exibimos esse hábito controlador, mesmo inconscientemente.Muitas vezes, as dificuldades que enfrentamos podem mudar nossos comportamentos, e nos tornamos tóxicos sem nem mesmo percebermos.


Se você notar que está se tornando controlador, existem algumas coisas que pode fazer:

  • Perceber que o desejo de controlar outras pessoas não resolverá nenhum de nossos problemas. Não conseguimos nenhuma vitória quando privamos outras pessoas de sua liberdade. Ao invés de mudarmos os outros, devemos mudar a nós mesmos.
  • Entender que o futuro não está em nossas mãos entanto, mas que temos total responsabilidade por nosso presente.
  • Compreender que nem tudo está sob nosso controle e que para vivermos bem, precisamos aceitar as imprevisibilidades da vida.

Para evoluirmos e alcançarmos uma maturidade espiritual, é necessário nos conhecermos e trabalharmos nosso autocontrole. Apenas assim poderemos seguir em frente com autenticidade e integridade, criando relacionamentos saudáveis com as pessoas ao nosso redor e fortalecendo nosso vínculo interno.



Direitos autorais da imagem de capa: Nicoletta Ceccoli

Você sabia que O Amor está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.

* Matéria atualizada em 14/10/2018 às 18:23





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.