Comportamento

Segundo estudo, mulheres em situação financeira difícil se beneficiam ao aumentar o número de maridos

A pesquisa foi realizada com a população africana e mostrou que ter mais de um marido proporciona para a mulher uma qualidade de vida melhor. Entenda!



Culturalmente falando, a monogamia surgiu para a espécie humana a fim de facilitar a criação da prole. Apenas 5% das espécies formam pares duradouros. No mundo animal, a maioria procria com variados indivíduos para que os descendentes fiquem mais fortes geneticamente.

Embora o assunto renda polêmica, com a espécie humana, não é bem dessa forma que acontece. O sentimento de pertencimento e vínculo é bem mais forte, além do que os bebês se desenvolvem mais lentamente em relação aos outros animais, dependendo do esforço em conjunto dos pais para que sobrevivam.

Possuímos sentimentos fortes com as pessoas que decidimos ter em nossas vidas, e quando se fala de relacionamento amoroso, tudo se transforma numa intensidade ainda maior.


Mas, em algumas culturas, a poligamia é aceita, assim o homem pode se casar com mais mulheres, de acordo com a sua disponibilidade financeira. Mas o contrário dessa história não é bem-visto na maior parte do mundo.

Para entender quão benéfico seria para as mulheres, se também tivessem essa disponibilidade, a Universidade da Califórnia (EUA) fez uma pesquisa. Como a evolução humana é um assunto importante, os pesquisadores chegaram a uma conclusão através de muito estudo.

O artigo sugeriu que ter vários cônjuges pode ser mais benéfico para as mulheres. O experimento foi realizado numa pequena aldeia africana, e descobriu sobre a poligamia e quais seriam seus efeitos na sociedade como um todo.

Os pesquisadores perceberam que, quanto mais as mulheres mudavam de marido, melhor os filhos sobreviviam e melhor ficavam as condições financeiras, principalmente nessas regiões, onde a situação é difícil economicamente.


O artigo revela que se casar com mais de um homem é uma estratégia sábia para mulheres nessas regiões, e com isso elas conseguem se proteger de crises econômicas e sociais, conseguindo assim manter seus descendentes vivos.

Quando essas mulheres possuem mais de um marido, a rede de apoio é maior, com mais pessoas para ajudar em casa e nos afazeres. Embora o costume seja dessa aldeia, o estudo permitiu entender que de fato o sucesso da sobrevivência estava ligado a essa prática.

O objetivo da pesquisa era mostrar que, em lugares onde a desigualdade social é grande, tribos se adaptaram e começam a utilizar a poligamia como estratégia de sobrevivência, deixando claro que esse estudo não se expande ainda para o mundo inteiro, até porque em cada lugar há uma cultura que prevalece e dita as regras locais.

 


Direitos autorais da imagem de capa: Depositphotos.

Mãe é impedida de entrar na escola do filho por causa de suas roupas: “Nunca me senti vulgar”

Artigo Anterior

Lilia Cabral desenvolveu síndrome do pânico após a perda da mãe: “Angústia que vinha muito forte”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.