ComportamentoRelacionamentos

Seria o silêncio um comportamento passivo-agressivo?

Quando estamos em situações conflitivas e conturbadas, muitas vezes, tratamos a outra pessoa com silêncio, para castigá-la.



O silêncio é usado como uma forma de expressar a raiva, a desaprovação, a tristeza. Mas será que este método realmente nos ajuda a lidar com nossos problemas?

O silêncio realmente tem o poder de remendar relações destruídas e amenizar o rancor que queima em nossas peles?

Os diálogos, principalmente durantes conflitos que nunca parecem se resolver, podem soar difíceis demais para serem praticados. No entanto, quando damos o tratamento do silêncio a alguém, realmente estamos fazendo o oposto do que esperamos. A falta de diálogo pode determinar o verdadeiro fim da relação. Relacionamentos consistem em pessoas conectadas uma com a outra e a conexão depende em grande parte dos diálogos.


Muitos se recusam a resolver as dificuldades através do diálogo porque não querem se submeter a visão do outro, por mais que possa parecer a mais positiva. No entanto, os problemas que não são conversados, que não são resolvidos, acrescentam um grande tom de negatividade aos relacionamentos. Com o passar do tempo, eles podem tornar a relação insustentável.


Motivos que levam as pessoas a optarem pelo silêncio

As pessoas que optam pelo silêncio, geralmente o fazem como uma maneira de punir a outra pessoa envolvida no problema e a impedir de compartilhar o seu ponto de vista.



Abaixo estão alguns motivos que levam alguém a optar pelo tratamento do silêncio:

  • Há quem prefira cortar a comunicação com outra pessoa do que manter um relacionamento de constante discussões

  • A pessoa que opta pelo silêncio, muitas vezes, justifica sua atitude dizendo que é a única opção disponível, porque todas as tentativas de conciliação não dão certo.
  • Alguns silenciam porque se sentem ofendidos, e dizem que não voltarão a se comunicar, até que tenham recebido um pedido de desculpas.


O silêncio como comportamento passivo-agressivo

O tratamento silencioso pode configurar um comportamento passivo-agressivo. Esses comportamentos caracterizam-se por atitudes que atacam a outra pessoa, mas de forma mais implícita, sem deixar tão claro. Essa forma “secreta” de toxicidade, muitas vezes, pode ser ainda pior do que uma agressão mais direta, porque o silêncio pode nos fazer interpretar milhões de situações potenciais em nossas mentes.

Cabe uma pergunta às pessoas que fazem uso dessa estratégia: Você tem certeza de que a outra pessoa sabe o que seu silêncio significa? Acredita cegamente que o afastamento é a única maneira de resolver o seu conflito?



Usos positivos do silêncio

Não é o objetivo tratar o silêncio como uma coisa ruim, seus usos positivos são inúmeros. Para citar um, considere os momentos de raiva. Quando estamos com raiva, tendemos a exagerar e perder de vista qual o objetivo da discussão, nosso único foco é provar que estamos certos a qualquer custo.

Por outro lado, quando nos silenciamos para provar que estamos certos, os resultados geralmente não são bons. É preciso correr o risco de se expressar verdadeiramente, sem a necessidade de ferir outra pessoa. Nesses casos, a solução é buscar maneiras de se comunicar, que possibilite a compreensão.  A comunicação sincera, que vem dos próprios sentimentos e crenças, é sempre válida, e deve ser mais praticada.


Não sofra sozinho!

Artigo Anterior

6 frases com significados completamente diferentes para homens e mulheres:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.