Comportamento

Solteira e sem filhos, mulher de 40 anos fala sobre pessoas a olharem com pena: “Sou feliz assim”

Ela diz que não escolheu ficar solteira aos 40 e, sim, independente. Uma vida e um futuro criados por ela mesma a fazem plena e feliz.



Sabemos que a sociedade criou padrões para a felicidade alheia. No caso de nós, mulheres, ensinaram-nos que só conseguimos alcançar o extremo da alegria e primor sendo casadas e mães.

Mas essa ideia já vem mudando, mesmo que muitos não concordem e ainda achem que uma mulher solteira e sem filhos é infeliz. O que a sociedade precisa entender é que temos a opção de ser o que quisermos, e a felicidade está pautada em nossas decisões, não no que acham certo.

Emma John tem 40 anos, é escritora e recentemente deu entrevista ao The Sun, sobre como se incomoda pelo fato de as pessoas sentirem pena dela ao saber que não é mãe nem casada.


Emma relata que não é necessário sentir pena de mulheres como ela, porque ela não se sente mal com isso, é feliz dessa maneira e relata que não amou ninguém o suficiente para querer se casar.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@em_john.

Abraçou a vida de solteira quando estava com 30 anos, e não se arrepende. Ela conta que quando conhece alguém e fala abertamente sobre esse assunto, percebe a estranheza nas pessoas e as falas sempre são as mesmas, de que é apenas uma questão de tempo para ela mudar de ideia.

Ela também afirma que passou a defender sua condição, dizendo que estar bem consigo mesma é ótimo para a saúde, além de aparentar mais jovialidade, pois não perderá horas de sono nem viverá com preocupação. Além disso, não se sente culpada por não gostar de alguém e sobrar dinheiro para comprar o que quiser para si.


Direitos autorais: reprodução Twitter/@em_john.

Emma relata que todos os benefícios a deixam feliz por ser solteira e não quer que achem que isso seja uma compensação. Está cansada de defender sua vida de solteira, porque tudo que fala soa como se fosse comparação. A alegria de ser solteiro não está em encher a vida de compensações ou se gabar por ser independente, mas em ser verdadeiro consigo mesmo, declara Emma.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@em_john.

“Todos esses benefícios, em algum momento ou outro, me deixaram feliz por ser solteira. Eu me preocupo que soem como uma compensação. Eles não somam uma vida. O problema de defender uma vida de solteiro é que temos de defini-la pelo que ela não é. São sempre as pessoas solteiras que perdem nessa comparação, e não o contrário.”


A alegria de ser solteiro não está em encher a vida de empolgações compensatórias ou se gabar de sua independência, mas em ser a versão mais verdadeira de si mesmo. Aos 20 e poucos anos, planejou se casar e ser mãe, mas não aconteceu. Disse que, quando seus amigos começaram a se casar, não sentiu ansiedade por estar solteira.

Mesmo que as pessoas à sua volta se preocupem com Emma, ela garante que está melhor do que muitos. Tem uma ótima carreira, a própria casa, amigos e família maravilhosos, diante disso, não sabe se tem espaço para mais alguém em sua vida.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@em_john.

Realmente ela se sente realizada e plena em sua condição. Emma pensa em seu futuro como alguém que sempre estará em busca do melhor para si, pois entender e valorizar a mulher que se tornou é a chave para sua felicidade!


O que achou deste relato? Conhece alguém que optou por não se casar e ter filhos?

Comente e compartilhe este texto em suas redes sociais!

Bebê abandonada, gravemente desnutrida e com paralisia cerebral, é adotada por jovem. Salvou sua vida!

Artigo Anterior

Escola edita foto de alunas no anuário do colégio por considerar sua roupa inadequada. Pais se indignam

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.