Comportamento

“Tive meu primeiro filho aos 51, as pessoas dizem que estou muito velha, mas não me importo”

Mãe decidiu relatar sua história para dizer às outras mulheres que o sonho de ser mãe não depende da idade. Entenda!



Com os avanços da medicina, fica cada vez mais fácil as mulheres optarem por uma gravidez tardia. Antigamente era bem mais complicado, e nas faixa dos 30 já era considerada uma gestação de risco. Mas como a saúde vem melhorando ao longo dos anos, mulheres de 30 anos não pensam em ser mães tão cedo, e contam com respaldo médico para isso.

Como os padrões da sociedade demoram um pouco para mudar, muitas pessoas não concordam com o fato de mulheres adiarem a gravidez e consideram que estão velhas demais para isso. É a partir de agora que a história de Susan Rufrano-Waitzman toma forma.

Ela contou ao Kindspot que sua rotina sempre foi acelerada demais e nunca encontrava o momento certo para ter filho. Seus relacionamentos também não ajudavam na escolha. Mas tudo mudou quando completou 44 anos e se apaixonou por Josh Waitzman.


Relatou que nunca quis casar e ter filhos quando era mais jovem, mas quando conheceu Josh, soube que agora isso era prioridade. Após um ano de namoro, começaram a planejar o casamento e a vinda de um bebê.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Susan Rufrano- Waitzman.

Susan tinha 46 anos quando engravidou pela primeira vez, mas sofreu um aborto espontâneo na nona semana de gestação. Mesmo sendo doloroso o momento, ela não desistiu e o casal não perdeu as esperanças.

Ela conta que seu marido é otimista igual a ela, beirando a teimosia, e sempre dizia para si mesma que conseguiria ser mãe, pois sabia em seu coração e alma que era para ser, só não sabia quando, por isso sua determinação nunca acabou.


Os desafios continuaram depois de duas fertilizações in vitro não terem dado certo, Susan foi questionada pelo médico se ela queria partir para a opção de doadoras de óvulos. Sua convicção ainda estava bem forte e decidiu tentar mais uma vez gerar os próprios filhos.

A persistência valeu a pena e, aos 51 anos, engravidou. Susan contou que não acreditou, pois sua idade estava completamente fora do que as pessoas falavam. A emoção tomou conta dela e finalmente pôde falar que conseguiu ser mãe, relata.

Apesar de muitos a julgarem velha demais e que não seria possível ser mãe, ela disse que não se importava, pois havia dado certo. Nunca deixou de acreditar, mesmo com todas as dificuldades.

Sua gravidez foi sem complicações, mas a hora do parto foi angustiante. O bebê perdia oxigênio e a frequência cardíaca diminuía toda vez que ela tinha uma contração. Foi preciso uma cesariana de emergência mas, apesar do susto, Morgan nasceu com a saúde perfeita!


Susan afirma que tem sido uma bênção ser mãe e a idade não a faz sentir-se mais cansada ou preguiçosa, pelo contrário, mantém-se tão ativa e reflete que não seria dessa forma se não tivesse filhos.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Susan Rufrano- Waitzman.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Susan Rufrano- Waitzman.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Susan Rufrano- Waitzman.


A vontade de ter mais filhos não parou. Susan e o marido querem que Morgan tenha um irmão ou irmã. Com 56 anos, ela espera ter gêmeos, pois já viu que não é impossível. Conclui dizendo que, embora tenha recebido muitas críticas, é inegável ver que o comprometimento tanto dela quanto do marido foi crucial para a realização do sonho.

Diz ainda que as mulheres não podem desistir pois, se ela se deixasse levar pelos comentários negativos, nunca teria feito nada na vida, e que sua idade é ótima, pois tem mais maturidade e vai ensinar valores mais poderosos para sua filha.

“Sei que parece horrível, mas eu realmente não gosto das pessoas que meus filhos se tornaram”

Artigo Anterior

“Ninguém vai querer uma mãe divorciada e com 3 filhos.” Ela não acreditava, mas a vida a surpreendeu!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.