Comportamento

Vizinha se sensibiliza e oferece ajuda para mãe de 5 que se esforça para cuidar da filha recém-nascida

Mãe decidiu relatar e agradecer a empatia da vizinha, que demonstrou muita generosidade ao perceber o quanto precisava de ajuda!



Mãe reconhece de longe o esforço que outra faz para criar seus filhos. É notório o quanto a dedicação delas é vista por todos, mas as mulheres costumam se sensibilizar por sentir na pele como a situação realmente é complicada.

Sherry Lazdinsh mudou-se com o marido para um novo bairro no meio da pandemia, com as quatro filhas. Decidiram pela mudança por morar num apartamento pequeno e precisar de mais espaço.

O desafio era gigantesco, mas depois de se mudarem, ela conheceu uma pessoa que mudou sua vida para melhor. Em depoimento ao Love What Matters, ela contou como a Sra. Tina foi essencial em sua jornada.


Logo depois da mudança, ela descobriu que estava grávida novamente. O choque inicial das pessoas foi por causa da pandemia, então o casal não foi muito parabenizado. A própria família achou que era brincadeira dos dois, e foi nesse momento que Sherry se viu sozinha.

Seu marido não pôde ser presente na gestação porque trabalhava muito, então o primeiro ultrassom, os batimentos cardíacos, todos foram emoções que apenas ela pôde sentir na hora. Além disso, tinha suas quatro crianças, que precisavam da atenção da mãe. Ela conta que segurou as pontas em casa e cuidou da gravidez da melhor forma que pôde, mas o sentimento de estar sozinha era bem constante, principalmente por serem novos na vizinhança e não conhecerem ninguém.

Depois de algumas semanas, suas filhas corriam para a cerca e acenavam para uma mulher que estava cuidando do próprio jardim. A senhora foi doce e solícita, e se apresentou. Era uma mulher de 50 e poucos anos e imediatamente surgiu uma conexão entre ela e Sherry.

Sra. Tina convidou as meninas para brincar com seus netos, quando eles fossem visitá-la e, a partir desse momento, ofereceu-se para ser babá para que Sherry pudesse ir às consultas médicas. Ela devia ir sozinha por causa da pandemia. A mãe conta que ela e seu marido nunca tiveram uma rede de apoio e criavam as filhas sozinhos, levando-os para todos os lugares. Mas ter alguém que ficasse por perto para auxiliar foi uma grande bênção, relatou.


Em abril de 2021, a quinta filha do casal nasceu. Por causa do número de funcionários limitados, seu marido não pôde ficar com ela e precisou voltar a trabalhar um dia depois que retornarem do hospital. E novamente ela se viu sozinha, com cinco crianças, sendo uma recém-nascida. O desespero tomou conta, pois as funções só se acumulavam. Manter o ritmo de amamentar um bebê e entreter outras quatro não é das tarefas mais fáceis.

Semanas se passaram após o nascimento e Sherry começou a receber mensagens de texto de sua vizinha que, com muita sensibilidade, percebeu que era hora de ajudar novamente. Ela dizia que, se estivesse precisando de um cochilo, para deixar uma das filhas com ela, já que as outras três haviam retornado para a escola, assim a mãe teria tempo de dar uma leve descansada.

Sherry aceitou a ajuda e a agradável senhora ficava enviando fotos para mostrar que sua filha estava em segurança. Ela conseguiu respirar mais aliviada, pois esses gestos de gentileza a salvaram de um colapso nervoso.

Conseguiu cuidar da recém-nascida e tomar seu banho sem ter o sentimento de culpa, pois pela primeira vez em muitos anos não precisava passar por isso tudo sozinha. Ela declara que não encontra palavras para descrever a ajuda. Resolveu contar esse relato para que a bondade da Sra. Tina sirva de exemplo para muitas outras mulheres, que com gestos simples permitem que outras mães consigam realizar suas tarefas sem culpa ou remorso.


Sherry conclui que dizer “muito obrigada” nunca será suficiente, mas a gratidão será eterna, pois seus filhos, além de sua casa, têm outro lugar seguro. Ter uma fonte de apoio foi importantíssimo.

O que achou deste relato?

Comente abaixo e compartilhe este texto em suas redes sociais!


Ator Rodrigo Sant’Anna é internado com covid-19 no Rio

Artigo Anterior

“Nunca se altere por um homem.” Mulher se separa do marido depois de sofrer pressão para cirurgia plástica

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.