AnimaisCuriosidadesEspiritualidade

O que algumas religiões dizem sobre o destino dos animais após a morte?



De acordo com um artigo de Adam Epstein, do Quartz, os mórmons, por exemplo, têm uma posição esclarecida sobre o assunto, declarando que obviamente os animais podem ir para o céu. Já o islamismo não tem nenhuma resposta muito clara sobre o tema.

Segundo o Islã, todas as almas são eternas, o que pode se incluir aí as dos animais.

A questão é que, para chegar ao paraíso (Jannah), todos os seres devem ser julgados por Deus (Allah) no dia do juízo final e alguns estudiosos muçulmanos dizem que os animais não são julgados da mesma forma como os seres humanos. Já outros dizem que eles são julgados, mas não há um conceito sobre o que exatamente acontece com eles depois.


E como será que é na religião de Buda? Bem, o budismo diz que entre os reinos um ser pode renascer, sendo que existem vários “céus”, embora eles não sejam lugares permanentes. Eventualmente, o ciclo começa novamente e se renasce em outro lugar e isso continua até o Nirvana.

A religião budista também vê os animais como sencientes assim como os seres humanos, ou seja, são capazes de sofrer ou sentir prazer e felicidade. Dessa forma, o budismo diz que os seres humanos podem ainda renascer como animais e os bichos também podem renascer como humanos. Portanto, para eles, a questão se os animais vão ou não para o céu não se aplica, pois os bichos e os seres humanos já estão todos interligados de certa forma.

Hinduísmo e judaísmo

Ainda segundo o artigo do Quartz, o hinduísmo também descreve um tipo de reencarnação, em que a alma eterna de um ser renasce em um plano diferente após a morte, continuando esse processo até que a alma seja libertada. Para os hindus, os animais têm alma, mas a maioria dos estudiosos diz que elas evoluem para o plano humano durante o processo de reencarnação.


Então, assim como na religião budista, no hinduísmo os animais são uma parte do mesmo ciclo de “vida-morte-renascimento” que os seres humanos, mas em algum momento eles deixam de ser animais e suas almas entram em corpos humanos para que possam estar mais perto de Deus.

No judaísmo, não há um conceito claro sobre se o céu ou o inferno existem. Há vários lugares mencionados nos textos judaicos que parecem ter semelhança com eles, mas são difíceis de analisar. Por essa mesma razão, não há uma visão clara do judaísmo sobre se os animais vão ou não para alguns desses lugares. Alguns rabinos dizem que sim, outros dizem que não.

No entanto, o curioso é que o judaísmo afirma claramente que os animais têm alma. Os judeus mantêm a sua forma de alimentação chamada kosher, em que certos tipos de bichos não são autorizados para consumo como porco, coelho, caranguejo, camarão e também sangue de nenhum tipo, nem em carnes mal passadas. Eles acreditam que o sangue representa a essência do ser.

Por isso, nos animais que são permitidos, é necessário um ritual específico de abate para que ele possa ser consumido pelos judeus.


No entanto, não há um consenso sobre o que é uma “alma” animal e se é tão importante ou tão divina quanto uma alma humana.


Via: MegaCurioso


Você já acordou no meio da noite e não conseguiu se mexer? Saiba o porquê

Artigo Anterior

Ciência confirma: pai é insubstituível na formação da criança

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.