Desisti!!! mas, do quê realmente você desistiu?

5min. de leitura

A vida nos coloca diante de situações, provações que exigem de nós tomadas de decisões importantes. Porém, nem sempre enfrentamos o que nos é colocado, muitas vezes escolhemos desistir.



Quando desistimos de alguma coisa na verdade precisamos olhar com mais atenção o porquê dessa decisão. Por vezes, não estamos desistindo, estamos fugindo de algo, escolhendo o caminho mais fácil e cômodo para permanecermos onde estamos.

Desistimos de sonhos não por causa deles, mas por causa do que é preciso fazer para alcançar eles. Desistimos da nossa realização pessoal por conta do que precisamos enfrentar e normalmente o que necessitamos é olhar de frente a nós mesmos. Tarefa fácil? Nem sempre…

Por trás de uma decisão há nossos aprendizados ocultos e eles podem facilitar ou nos pedir maior empenho. Quando precisamos nos empenhar nem sempre há vontade, o querer da nossa parte para superar nossas emoções negativas, nossos pensamentos inferiores, o que dirá mudar nossas atitudes.  É nesse momento que vemos que a pessoa está desistindo de si mesma, da sua missão que é evoluir. Evoluir significa resolver, curar, amenizar tudo aquilo que nos atrapalha na vida: raiva, mágoa, orgulho, preguiça, falta de fé, tristeza…


Portanto, quando você desiste, você desiste do que mesmo? Melhor, você desiste de quem na verdade? Qual o real motivo de não enfrentar tal situação? O que há oculto, por trás da sua escolha? Que sentimentos você decidiu não curar com essa atitude? Que crenças limitantes você decidiu não rever optando em manter a sua vida como está? Seja honesto e olhe com profundidade o porquê da desistência de algo…

É preciso ter coragem para olhar para dentro de si mesmo e ver do que realmente estamos fugindo. É preciso humildade para reconhecer quando temos medo da mudança. É preciso amor para confiar, se entregar e ir em frente, em um caminho diferente do qual estamos acostumados.

Somos livres para escolher aprender pelo amor e não conseguimos agir, na maioria das vezes, como tal devido as nossas escolhas que mais nos afastam do que aproximam dos nossos aprendizados. A fuga, a desistência deliberada do que sabemos que precisamos realizar nos amarra, nos engessa, nos impede de seguir em frente enquanto não fizermos o que precisamos fazer. É como se fosse um pré requisito para alcançar o próximo degrau da escadaria. Não há como pular degraus… Todos eles são necessários e nos alavancam para o próximo assunto a ser resolvido.


Se autoconhecer é uma necessidade que deveria ser considerada tão importante quanto se alimentar, dormir, beber água… Afinal, como é possível identificar o que realmente nos motiva a tomar esta ou aquela decisão se não nos conhecemos? Como poderemos ser felizes escolhendo fingir não ver o que precisamos melhorar como pessoas?

Desistir não é a solução, na verdade só dispara para o universo um pedido para trazer mais deste aprendizado para a pessoa e para mais perto dela. Quanto mais perto está o que precisamos resolver, mais decidimos anteriormente não enfrentar, camuflar, desistir… Não adianta fingir, quando é nosso aprendizado, você pode escolher não querer olhar para ele com carinho agora, porém, mais cedo ou mais tarde ele se fará novamente presente em sua vida, afinal, o que você precisa melhorar está dentro e vai junto com você por onde você for.

Por fim, repense se você está desistindo de algo… Se questione do que realmente você está abrindo mão… Respire fundo, acredite em você, tenha fé, aja seguindo o fluxo e não contra ele. Supere seus obstáculos, seus desafios, seus fantasmas interiores e alcança o pote de ouro ao final do arco Iris, ou seja, a plenitude, a alegria, a gratidão, a prosperidade, o amor…

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 01/03/2017 às 2:58






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.