AtitudeDinheiroFelicidadeGratidãoProsperidadeSucesso

Sentir culpa da prosperidade

Se o conhecimento sobre os aspectos envolvidos para a conquista da prosperidade fosse de fácil entendimento, a situação mundial seria muito diferente. Infelizmente o ser humano ainda não se conscientizou de que para conquistar uma vida plena, será preciso acontecer mudanças em muitos aspectos da sua consciência.



A capacidade de atrair prosperidade para a sua vida é diretamente proporcional a sua capacidade de expandir a sua consciência em todas as áreas da sua existência. Isso quer dizer que para você magnetizar a prosperidade você precisará se reformar como ser, e reformar quer dizer refazer a forma.

Analise com profundidade esta afirmação:

 


A FALTA OU A PRESENÇA DA PROSPERIDADE MANIFESTA O NÍVEL DE EXPANSÃO DA CONSCIÊNCIA DA PESSOA

 

A pobreza, a limitação e a escassez são medidas não pela ausência do dinheiro, saúde ou felicidade, mas pelo nível de consciência dela.

A prosperidade também não deve ser medida pela abundância material de uma pessoa, mas pelo estado de espírito.


A pobreza gera sofrimento, dor, limitação, medo, rebeldia, angústia, instabilidade, ambição, violência, separações, conflitos, desvios e erros. Muitas pessoas dizem equivocadamente que o dinheiro é sujo e que para serem ricas, precisaram pisar nos menos favorecidos. Isso é um pensamento equivocado, que desvia a atenção da verdadeira causa do problema: a falta de amor e gratidão pela vida.

Somente o fato de você querer ter uma vida mais plena e livre já pode ser uma ação motivante para você reformar a sua consciência para conquistar a prosperidade. Se você quer comprar um carro e parar de andar a pé, ou se você quer pagar a faculdade do seu filho, você também já tem motivos de sobra para querer deixar de lado qualquer forma de pensar, sentir e agir que bloqueie o seu fluxo de abundância.

A prosperidade é o caminho natural da alma humana. Todo sofrimento, limitação e pobreza são sinalizadores de que a pessoa está errando. O maior pecado é a escassez porque ela diminui o tamanho e as possibilidades da alma humana.

Não podemos pecar asssim (traduza como falhar) se já temos todas as possibilidades de começarmos um novo caminho.


O mundo está cheio de pessoas sofrendo na escassez e na limitação, mas não há nada injusto no processo, já que esse estado de espírito se configura como um aviso da Fonte Maior dizendo que a pessoa está agindo errado e que não está entendendo o propósito da sua existência. Por isso vem uma pergunta importante:

O que aconteceria se qualquer pessoa quisesse eliminar o sofrimento de alguém, simplesmente oferecendo a ela uma grande quantidade de dinheiro?

Você acha realmente que o sofrimento seria eliminado?

A resposta é que o sofrimento seria cessado apenas pelo período de tempo que a quantidade de dinheiro dada fosse suficiente. E o motivo é simples, a causa não foi tratada. O motivo original do sofrimento não foi compreendido.


A limitação, a escassez e a pobreza são campos de energia de sofrimento que mostram a necessidade de aprendizado que a pessoa tem. Em outras palavras, o sofrimento é a pedagogia correta para o aprendizado necessário. Você nunca poderá tirar o sofrimento de uma pessoa ou querer privar ela desse sentimento. A única coisa que você poderá fazer é oferecer a ela algum elemento que a ajude a entender a causa do sofrimento. Você nunca pode “dar o peixe”, mas você poderá “ensinar a pescar”.

Quando o assunto é prosperidade, você nunca pode sofrer por assistir o sofrimento alheio, pois desta forma você está saindo do fluxo da prosperidade para acessar o fluxo da limitação e escassez. Aprenda a entender que a pessoa tem o aprendizado dela, e por isso, o seu sofrimento ao assistir a situação alheia jamais será uma opção de ajuda, consolo ou amparo.

Se você quiser amparar alguém que sofre pela limitação, você só poderá fazer duas coisas essenciais.

1 – Ensinar com o seu próprio exemplo.


2- Ajudar a pessoa a se ajudar. Mostrar a ela o caminho que você usou e que mudou a sua vida, mas não poderá fazer por ela, apenas mostrar a sua receita.

Quando você sente culpa em usar uma roupa cara, em jantar em um restaurante caro, em comprar um carro zero do último modelo, ou de investir um alto valor em um eletrônico, você não está ajudando ninguém.

Ache um caminho de caridade na sua vida. Pratique o dízimo, contribua para causas sociais, faça as suas doações, seja ativo na arte de ajudar, seja solidário e encontre um caminho equilibrado de participar com ações de doação, contudo, jamais alimente a miséria alheia.

Organize as suas contas, saiba que você não pode preencher o vazio da sua alma plenamente e permanentemente com compras e bens materiais, entretanto, saiba que se você pode comprar, se está ao seu alcance, então você merece.


Quando você sente culpa ao comprar alguma coisa que tem condições de comprar, então você se desalinha com o fluxo da prosperidade, porque está dizendo para o universo que você não merece ter ou conquistar aquilo. Mas sabe o que é pior?

É que esse sentimento tão comum nas pessoas é uma forma de retaliação inconsciente que quer que você sinta a dor dos outros menos afortunados, e que seja solidário a todos que sofrem com a escassez!

É isso que o seu inconsciente, infelizmente pouco treinado nas leis da prosperidade, procura fazer. Ele quer se nivelar aos sofredores para que você tenha emoções mais confortantes. Só que isso é um erro absurdo, porque quando você diminui quem você é para ser aceito e par sentir-se bem, você paga um preço caríssimo que é o de repelir a prosperidade e ainda por cima, não ajudar ninguém realmente.

Jamais sinta culpa por desfrutar de coisas, situações e lugares que a prosperidade pode lhe proporcionar. Você só terá aquilo que merece ter, portanto, se você estiver fazendo a coisa errada, as próprias leis do universo irão ajustar as situações, e por isso não é você que precisará agir com nenhuma lei de compensação. Você também não tem como tirar o aprendizado ou o sofrimento alheio, você só pode inspirar que as pessoas comecem a se instruir, a se conscientizar e a fazer mudanças conscienciais necessárias.


Você precisa sentir que merece cada fato novo e abundante que lhe cerca, desde bens materiais de altíssimo valor agregado, até situações que transbordam o cheiro delicioso da prosperidade. Quando isso acontecer naturalmente, saiba que tudo está certo e que o universo regula a harmonia desses processos com leis perfeitamente sincronizadas, desta forma, você não pode querer ser melhor que Deus e inventar as suas próprias regras.

            Faça a sua parte e aceite o que vier como prova de que abundância virá na mesma proporção que você merecer.

Oração: dá-me a esperança!

Artigo Anterior

Vai ficar aí esperando um salvador?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.