Um dia descobri que ainda posso ser feliz

7min. de leitura

Final de ano chegando e os questionamentos se fazem cada dia mais presentes, como se algo de concreto fosse se modificar pela passagem de uma data.



Nessa época, os corações se tornam mais emotivos, temos a vontade de falar com pessoas que há muito deixamos para lá. Temos a vontade de tentar compreender o que se passou esse ano. Mas, quando o espírito de Natal e Ano Novo baixam em nosso ser, o que de fato se verifica são intensos questionamentos pessoais com ar, na grande maioria das vezes, um pouco pessimista. São análises críticas acentuadas buscando entender o porquê de mais um ano ter se passado e muito pouca coisa termos realizado ou modificado.

Quando você adquire o hábito de analisar suas posições errôneas e suas reações, no momento em que algo que você não gostaria acontece, você se abre à mudança, sua vida pode, sim, se modificar de maneira radical.

Quanto mais você amar, mais receberá amor e mais compreenderá os que não têm uma capacidade efetiva de amar. Deixará de sofrer por coisas que não valem a pena, ou até mesmo que nunca se modificarão.


Existem marcas em nosso passado que nos deixam completamente cegos para enxergar as coisas mais sutis que a vida nos apresenta, como a nossa capacidade nata de admirar e praticar os três preceitos que nos levam verdadeiramente a uma ascensão energética que é admirar o belo, enxergar sempre o lado bom das coisas e estar sempre ao lado da verdade.

Vive-a-vida-intensamente

Para realizar uma mudança positiva em sua vida, você deve desejá-la e enviar, então, este desejo ao seu supra consciente e, desta forma, tenha absoluta certeza que o Universo irá se movimentar para que essa mudança de fato aconteça.
Primeiro, mudamos os pensamentos e as atitudes; a seguir, os sentimentos e, por último, as ações e reações que começam a agir de acordo com a sua nova forma de viver.


Eu amo Portugal. Talvez sejam as minhas origens paternas que fazem sentir-me de fato em casa quando volto lá. Neste ano, irei passar o final do ano e começo de janeiro em Portugal e, ao escrever hoje este texto, senti uma imensa vontade de contar uma história que aconteceu comigo no início da minha carreira de Radiestesista há um bom par de anos atrás.

Fui viajar com meus pais como uma viagem de nostalgia e lembranças. Meu pai estava voltando ao seu país depois de cinquenta anos longe de lá. As lembranças e memórias, ora boas, ora não, faziam-nos viver como se estivéssemos em um filme. Cada dia uma surpresa se apresentava e, em uma delas, tive o prazer de conhecer uma pessoa que em muito pouco tempo se tornou minha amiga. Tínhamos o mesmo gosto pelas coisas e pensamos da mesma maneira, porém, sua vida se encontrava em uma fase extremamente difícil. O relacionamento com o marido era péssimo, ele a destratava na frente de todo mundo; na realidade, não enxergava o valor que ela tinha. Na parte de saúde, sempre tinha alguma coisa de muito complicado e grave; assim que se curava de algo, outra situação aparecia em seguida. No seu trabalho, sentia-se completamente explorada e invadida; o respeito dos outros por ela era algo que nunca havia experimentado.

Talvez por me sentir tão próxima a ela e nos identificarmos tanto, resolvi falar sobre a Radiestesia no âmbito residencial e também sobre a Mesa Radiônica, o que naquela época não era tão exposto na minha vida, pois me sentia como uma estudiosa e uma pesquisadora.
Expliquei-lhe que existem alguns tipos de energia como veios de água, falhas geológicas e matéria orgânica em decomposição, ar estagnado, linhas Hartmann e linhas Curry que podem afetar de maneira significativa a nossa saúde. Esclareci ainda que tais energias podem ser medidas e identificadas através de instrumentos radiestésicos e, o melhor de tudo, podem ser curadas com o uso de placas radiônicas.
Expliquei-lhe ainda que no âmbito pessoal, através da Mesa Radiônica, podemos equilibrar todas as frequências energéticas e eliminar os bloqueios que nos levam a situações repetitivas. Depois de concluir toda esta explanação, disse-lhe que, pelo que podia perceber, ela estava sob a influência de alguma energia em sua casa que teríamos que identificar e curar para resolver seu aspecto de saúde. Seria necessário fazer também o tratamento com a Mesa Radiônica, a fim de identificar o bloqueio que a leva a se colocar em segundo plano em todas as situações de sua vida.
Ela começou a chorar, como um desabafo de anos, e me pediu que a ajudasse.

Fiz toda medição Radiestésica em sua casa, identifiquei de fato um veio de água sob o local onde ela dormia e o curei com a colocação de placas radiônicas. Em seguida, fiz a Mesa Radiônica e identifiquei um bloqueio quando ela tinha dez meses. Como poderia ser isso? Sua mãe engravidou de seu irmão, logo em seguida ao seu nascimento. Assim, ela não teve tempo de ser bebê, pois com a chegada do seu irmão, até o seu berço fora tomado por ele. Ela nunca entendeu aquela súbita mudança e acabou reagindo de forma bloqueada, colocando-se assim, em segundo plano, frente a todas as situações que a vida lhe apresentava.

Depois de todo atendimento e as curas realizadas, ela começou a traçar os seus ideais de vida e seguiu à risca rumo à sua felicidade e se curou por definitivo de todos os seus problemas recorrentes de saúde e emocionais.
Neste final de ano, quero reencontrar esta minha amiga e quase irmã que mora tão distante, mas muito perto do meu coração que um dia descobriu que ainda podia ser feliz.

Por Maria Isabel Carapinha

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.