Família

10 coisas que não devemos dizer para as crianças

Foto: Depositphotos
capa criancas st

Confira as palavras e atitudes dos pais que são capazes de minar a autoestima e felicidade de nossos filhos!

Ser pai ou mãe definitivamente não é uma brincadeira.

Nossos filhos chegam ao mundo completamente inexperientes, e cabe a nós oferecê-los a melhor criação possível, tornando-os adultos conscientes, responsáveis, e capazes de criar o seu próprio futuro bem-sucedido.

São tantas as responsabilidades que assumimos com a chegada dos filhos que podemos facilmente nos perder ou sermos dominados pelo sentimento de que estamos fazendo tudo errado, e por isso precisamos sempre contar com o apoio das pessoas mais experientes, sejam nossos pais, sogros e sogras, ou até mesmo os amigos.

Se você acabou de receber uma criança em sua vida, uma coisa que precisa ter em mente é que tudo aquilo que você diz ou faz enquanto pai e mãe impacta na sua vida, e determinará, em grande parte, como será a sua vida no futuro.

Os pais e as mães são os maiores guias e professores de seus filhos durante a vida toda, mesmo quando eles já se tornaram responsáveis por seus atos. Portanto, o nosso comportamento pode tanto torná-los pessoas bem-sucedidas e felizes quanto criar traumas profundos em seu interior, que permanecerão até a vida adulta, sabotando os seus relacionamentos ou conquistas.

Muitas vezes podemos ficar perdidos sobre até onde podemos ir enquanto educadores, e quando nossas atitudes se tornam ofensivas e prejudiciais para os nossos filhos.

Se esse for o seu caso, trouxemos um guia que pode te ajudar a conhecer os limites saudáveis para esse relacionamento, que é um dos mais poderosos que construiremos ao longo da vida.

Confira abaixo 10 coisas que você nunca deve dizer ou fazer aos seus filhos!

1. Nunca classifique o seu filho como “chato”, “pestinha”, “lerdo”, ou outro termo negativo ou agressivo. Mesmo que ditas em tom de brincadeira, essas expressões podem acabar sendo absorvidas por seus filhos, e eventualmente fazendo com que eles se tornem exatamente todas essas coisas.

2. Não diga “sim” a tudo o que eles te pedirem. Por mais que muitas vezes nos sintamos tentados a oferecê-los tudo aquilo que não tivemos, dizer “sim” demais pode acabar por torna-los adultos mimados, que querem tudo feito a sua vontade, e que não saberão lidar com os muitos “nãos” que a vida dá a todos nós.

3. Não peça a opinião dos seus filhos para tudo, especialmente em atividades obrigatórias, como ir à escola, se deitar a noite, entre outros. As crianças precisam ter uma autoridade a qual obedecer, assuma essa posição sem se desculpar por isso.

4. Não mande o seu filho parar de chorar sem entender o motivo de suas lágrimas. A falta de atenção nessa parte da vida pode fazer com que cresça aprendendo que precisa reprimir todos os seus sentimentos, o que lhes trará vários problemas no futuro.

5. Não diga que a injeção não vai doer, se você sabe que doerá. Não engane o seu filho em relação às dores da vida. Quanto mais cedo ele aprender que nem tudo é um mar de rosas, melhor preparado estará para lidar com tudo o que a vida colocar em seu caminho.

6. Não crie o seu filho na base dos insultos ou dos palavrões. Ele absorverá essas palavras e poderá usá-las contra você e outras pessoas no futuro.

7. Não deboche dos erros e falhas de seus filhos. Ao invés disso, mostre-se sempre pronto para ajudá-lo a fazer as coisas do jeito certo, desencorajamento não pode ser o principal sentimento em uma relação de pai e filho.

8. Jamais minta para as suas crianças. Por mais difícil que possa ser a verdade, tente sempre ser honesto. A mentira é um hábito que se aprende, e você se arrependerá de não ter o ensinado a ser honesto.

9. Não lhe diga “Foi apenas um pesadelo, volte para a cama”. As crianças têm dificuldade de diferenciar o imaginário do real, e precisam de sua compreensão e apoio. Permaneça ao seu lado até que durmam novamente, isso lhes trará muito mais segurança para a vida.

10. Nunca ameace partir e deixar seu filho sozinho caso ele não atenda às suas vontades. Ameaças e chantagens emocionais não contribuem para que as crianças cresçam de maneira saudável.

0 %