“Meu eterno talvez”, o filme da Netflix que tem o conselho de relacionamento que você precisa agora



“Meu eterno talvez”, o filme que traz lições preciosas sobre abrir o coração para o verdadeiro amor.

As comédias românticas retratam o mundo dos relacionamentos com uma similaridade incrível! Não é à toa que muitos de nós nos identificamos completamente com as personagens, vemo-nos representados em seus medos, inseguranças e traumas passados. É claro que algumas vezes é impossível fugir dos finais previsíveis, mas a jornada que as personagens percorrem até conquistarem seu amor dos sonhos é uma das partes mais importantes, pois nos ensinam preciosas lições sobre o amor e a vida.

A nova comédia romântica da Netflix, “Meu eterno talvez”, protagonizada por Ali Wong e Randall Park é um desses filmes que podemos assistir em qualquer momento da vida, se estivermos ou não em um relacionamento, porque aborda temas importantes para o crescimento pessoal e aceitação do amor.

Sasha (Ali Wong) e Marcus (Randall Park) demoram 30 anos para assumirem o seu amor e finalmente ficarem juntos, e durante todos esses anos enfrentaram obstáculos com os quais todos nós já nos deparamos quando se trata de relacionamentos. Cada um com seu próprio gatilho, eles criaram muros de proteção ao redor de seus corações para impedir o sofrimento com o amor, algo que todos já fizemos, mas que, na verdade, não nos protege de nada, apenas nos afasta de todas as oportunidades que possuímos de redescobrir o poder do amor.

Através das trajetórias das personagens – com as quais todos nos identificamos em algum nível – o filme traz lições preciosas sobre abrir o coração para o verdadeiro amor.

Abaixo estão algumas delas:

Não vale a pena limitar-se por conta de seus medos

As coisas continuam iguais, até tomarmos a decisão de mudar. Os medos só são superados quando os enfrentamos. Então, se quisermos encontrar novas possibilidades para nossas vidas, devemos sair da zona de conforto. Sim, isso significa que estaremos mais vulneráveis, mas é melhor sofrermos algumas decepções do que vivermos presos dentro de nós mesmos, sem nunca criar um relacionamento que valha a pena. É através da atitude e da vulnerabilidade que nos expomos o suficiente para encontrar um bom amor.


Não siga padrões, crie a sua própria vida ideal

Acreditamos que se guiarmos nossas vidas pelo caminho que todos seguem, encontraremos o amor ideal e seremos mais felizes, mas isso não passa de uma enganação. Não devemos comprar a “felicidade pronta” que tentam nos vender. Somos únicos, e para que possamos viver bem, sozinhos ou com alguém, primeiro é preciso nos encontrarmos e criarmos a vida que realmente desejamos viver.


Dedique-se ao que o faz feliz e fique com alguém com quem possa compartilhar sua felicidade

É possível estar com alguém que possui paixões diferentes das nossas, o que realmente importa não é o que a pessoa faz, mas se isso realmente a faz feliz e se essa felicidade é compartilhada pelos dois. Quando as duas pessoas vivem em autenticidade e se apoiam mutuamente, o amor e companheirismo fluem com muito mais naturalidade.



Essas são algumas das preciosas lições que podemos aprender com Meu eterno talvez. O filme é uma excelente sugestão para quem deseja aprender mais sobre como se preparar para receber o amor.

Se você já assistiu ao filme e aprendeu outras lições com ele, comente abaixo!


Texto escrito com exclusividade para o site O Amor. É proibida a divulgação desse material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.


Direitos autorais da imagem de capa: cena do filme “Meu eterno talvez”.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.