5min. de leitura

“A lei da mente é implacável. O que você pensa, você cria.”

Segundo Buda: “A lei da mente é implacável. O que você pensa, você cria. O que você sente, você atrai. O que você acredita, torna-se realidade.”

Já há alguns anos assisti ao filme “A lei da atração” e fiquei maravilhada com tudo que ele ensinava. Será mesmo que a vida podia ser assim, tão simples? Fácil?



Acho que levei mesmo alguns anos para entender e assimilar a essência da informação acima, tanto de Buda, quanto do filme e de tantos meios que abordam hoje o “Tudo que vai, volta!”.

Entre a primeira vez que vi o filme até o momento atual não fiquei refletindo constantemente em como poderia aplicar a lei na minha vida. Por um tempo achei que estava fazendo, mas pouco resultado que eu queria, eu percebia. Depois de um tempo, já nem pensava mais nisso.

Mas o melhor de tudo foi que a vida e a maturidade adquirida com ela, fizeram-me perceber que, percebendo ou não, estamos sempre praticando a “Lei da atração”. O que nos falta, na maioria das vezes, é usá-la a nosso favor.


Fico muito triste em ver tantas pessoas que amo, agindo em suas vidas de forma que parecem sabotar a si mesmas. Vivem reclamando, apontam o que há de ruim em tudo e em todos, e não sabem por que a vida delas não melhora.

Nessas férias decidi viajar. Quis mesmo rever as pessoas que mais amo, tanto familiares como amigos.

Também me mantive aberta, como sempre, ao que quer que fosse. E como um grande retorno do texto: “Vamos vida, me surpreenda”, recebi ao menos duas grandes e gratas surpresas da vida.


Como contar o incontável? Não conto, mas confesso que coisas incríveis aconteceram.

Há anos atrás escrevi num currículo para um evento, que era secretária executiva trilíngue, sendo que experiência alguma tinha. Um ano depois, já estava atuando como tal. Escrevi um livro que ainda não foi publicado, onde me colocava numa trajetória que desejava trilhar. Hoje, eu me vejo nela. E sei que tudo que escrevi virá a se concretizar, senão de forma igual, similar.

A lição que aprendo a cada dia é que não basta se entender a “Lei da atração” e saber que ela existe. Há de se levar a sério e no coração. A lei está aí, esfregando sua existência em nossas caras todo santo dia. Reconheça-a, respeite-a e comece a mudar sua forma de pensar, de agir e principalmente de reagir ao mundo a sua volta.

Se tiver um problema, comece a se sentir grato pelo problema ser algo do qual você pode dar conta, mesmo que ainda não veja saída. Sorria para seu amigo que tem um problema menor do que o seu e se disponha sim a ajudá-lo.

Cansado, trabalhe! Triste, saiba que amanhã é um novo dia! Tudo passa! Subir e descer são movimentos da vida. Entenda de uma vez por todas, que o momento ruim é passageiro.

Aqueles que não veem seus problemas se resolverem, são os que mais reclamam de seus males, como um alimento que dão a seus monstros diariamente, fazendo os crescer indefinidamente.

Sorria mediante uma dor, uma perda ou o que for. A mudança do padrão de pensamento muda a sua vida de forma tão impressionante, que tudo passa a conspirar a seu favor. Se minhas palavras parecem difíceis para você, apenas entenda: a gente colhe o que planta! Então: seja gentil! Ame! Sorria! Perdoe!

Quer uma boa “Lei da atração” em prática na sua vida? Simplesmente ame! Todo o resto nada mais é do que consequência. Pense, sinta e acredite! Com amor e fé! Afinal, o que se tem a perder exercendo a lei do amor?


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: kohanova / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.