Meditação não é tudo: 4 práticas adicionais para cultivar uma mente tranquila

5min. de leitura

Durante anos, eu lutei com a minha mente. Isso me cansou. Eu passava horas intermináveis ​​à noite , quando o meu corpo realmente queria dormir, pensando. Fluxos intermináveis ​​de pensamento que, por vezes, não faziam sentido e me causavam ansiedade e depressão. No entanto, estranhamente, a mesma “máquina de pensar” que me mantinha acordado durante a noite ficava desligada durante o dia. Não conseguia me concentrar no trabalho.



E depois de um tempo, eu apenas me conformei de que esse era o jeito natural das coisas.

Anos mais tarde, comecei a meditar diariamente. E foi assim que muitas coisas sobre a mente, e ego começaram a fazer sentido para mim.

Como a vibração mental acalmada (um dos muitos benefícios da meditação), o nevoeiro em minha mente se dissipou. Eu dormia durante a noite e acordava revigorado. Minha mente começou a trabalhar de verdade. Quanto mais eu meditava, mais a “mente inútil” sumia.


Minha mente estava se tornando um “equipamento” que eu poderia usar quando necessário.

Quando falo com os clientes sobre o meu passado mentalmente hiperativo, há uma pergunta comum entre eles: “Como foi que você acalmou sua mente?” Normalmente, a primeira palavra que sair da minha boca é “meditação”, mas não há mais do que isso.

Além de meditação diária, eu mantinha a minha mente quieta, seguindo estas quatro práticas simples:


1. Observações mentais

Aqui eu uso o meu exercício “Hmm … isso foi interessante”. Tento permanecer intensamente presente em todos os momentos e cultivar a arte da observação sem julgamento. Quando observo um pensamento que não está de acordo com a minha essência, eu sorrio e sussurro suavemente “Hmm … isso foi interessante”. Eu uso essas palavras como o reconhecimento que tenho observado um pensamento ou voz interna que não estão carregados de energia elevada. E então eu apenas deixo o pensamento flutuar sem julgamento.

2. Praticar o amor-próprio e auto-compaixão

Eu sou humano. Cometo erros e posso causar confusões como todo mundo. Eu não estou tentando ser o Buda aqui. Eu sou só eu. E eu amo cada partícula de “mim”, não importa o quê. Isto pode parecer trivial, mas você ficaria surpreso com quantas vezes o ego usa autoaversão, como forma de manter o controle. Eu o chamo de síndrome do “eu-posso-fazer melhor”. Se você sempre pode “fazer melhor”, então você está realmente ok com quem você está agora?

3. O exercício da calma

Além de minhas rotinas de exercícios de velocidade, eu realmente demoro mais para fazer minhas obrigações. Corto meus vegetais lentamente e demoro um pouco mais do que o habitual para escovar os dentes. Você pode pensar que fazer as coisas de forma mais devagar é um “desperdício” de tempo. Longe disso. Fazer as coisas com calma e conscientemente aumenta exponencialmente a minha produtividade. Como? Porque a mente fica tranquila e precisa. Uma mente “precisa” é igual à criatividade e produtividade.

4. “Desligar-se” mentalmente pelo menos duas horas antes de se deitar

E eu não considero sentar na frente da TV e assistir a um episódio de The Walking Dead qualificar como “desligar-se”. O ideal seria se sentar em um ambiente sem barulhos e ouvir uma música relaxante.

A mente é incrível, mas também pode ser destrutiva quando não trabalhada da maneira correta. Uma mente tranquila expressa grandiosidade geral. Experimente. Acalme a sua mente e veja o que acontece. Você pode se surpreender com o quão rapidamente a sua vida vai mudar.

 

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: Finer Minds

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.