Notícias

Bruna Linzmeyer diz que perdeu trabalhos por ser sapatão

Foto: Instagram
Brunna

Bruna Linzmeyer, atualmente no remake de “Pantanal”, contou em entrevista ao podcast PodPah que perdeu muitos trabalhos na época em que assumiu que namorava uma mulher.

Foi em 2015, eu estava há cinco anos na TV e já namorava a Kity, minha primeira namorada. O povo pegou informações sobre a vida dela, foi péssimo. Daí as pessoas que trabalhavam comigo esperavam que eu ia negar, e eu disse que isso não era uma possibilidade. Tinha umas publicidades marcadas para aquela semana e para a semana seguinte, e tudo foi cancelando”, lembrou ela, que disse que conseguiu construir a carreira mesmo sem esconder nada.

“Hoje em dia, me chamam porque sou sapatão. Querem estar comigo porque eu tenho e tive essa coragem”, completou.

Bruna Linzmeyer abriu uma caixinha de perguntas para conversar com os fãs sobre o combate à LGBTfobia, e ficou impressionada com o número de depoimentos de preconceito e abusos direcionados contra o público LGBTQ.

A atriz explicou que também foi vítima de homofobia e lesbofobia recentemente, e que após anos se consultando com uma psicanalista percebeu que a profissional estava sendo preconceituosa.

“Nem sempre as homofobias e os preconceitos são tão explícitos. Muitas vezes eles estão entranhados no discurso da psicóloga, psicanalista ou terapeuta. Eu levei anos para entender que era isso que estava acontecendo”, contou. Durante esses anos outras coisas iam desmoronando na minha vida, até que eu vi que o que eu estava vivendo era um abuso psicológico”, desabafou.

Bruna explicou que recebeu muitas mensagens de psicólogos e psicanalistas explicando que o discurso científico da psicanálise não permite nenhum tipo de preconceito. “Eu sei que, em tese, a psicanálise não é conivente com nenhum tipo de discriminação. Mas existem pessoas e pessoas, e essas situações muitas vezes acontecem e infelizmente chegam a ser comuns”.

0 %