Notícias

“Especial Chitãozinho e Xororó”: internautas vibram com programa que celebra os 50 anos da dupla

Foto: Divulgação
capa chitaozinho

É para matar as saudades e deixar a emoção fluir!

O “Especial Chitãozinho e Xororó – 50 Anos de História” foi uma volta no tempo, quando a música sertaneja começava a se popularizar no cenário brasileiro.

Os irmãos José Lima Sobrinho e Durval de Lima, Chitãozinho e Xororó, relembrou no programa inúmeros sucessos que vão além do fenômeno “Evidências”, de 1989.

Com direção artística de Monica Almeida e direção geral de Gian Carlo Bellotti, o programa contou com emocionantes momentos conjugados com entrevistas conduzidas por Pedro Bial. Um material rico de arquivo e musicais levaram o público numa viagem no tempo ao passado.

A Pedro Bial, Xororó contou: “A gente não queria ser caipira, a gente queria ser sertanejo.” O cantor lembrou que eles começaram a cantar na rádio e brincou: “Falávamos naquela época que a música sertaneja era proibida à luz do dia, porque só tocavam de madrugada.

Screenshot 5

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Sucesso dos anos 90, o hit da dupla, “Fio de cabelo”, virou ‘brega’, na visão de Chitãozinho. “Ela (Fio de Cabelo) mudou a nossa vida. As pessoas falaram que existia o brega e chique e ‘Fio de Cabelo’ ficou brega um tempão porque foi um arraso e tudo que toca demais fica brega. A gente era brega, o Wando era brega, a Fafá (de Belém) era brega.”

Ter uma música tema de uma novela da Globo era como ter uma música em um filme de Hollywood” — Xororó

A dupla nasceu em Astorga, uma cidade localizada no interior do Paraná. O nome artístico foi escolhido pelo pai deles em referência a dois pássaros da região: o Inhambu Chitão e o Inhambu Xororó.

Xororó lembrou uma passagem engraçada a respeito de os julgarem bregas.

Quando o sogro estava no Rio de Janeiro, um médico amigo ouvia música sertaneja no carro e a mulher dele mandou abaixar a música, pois estava com vergonha de o julgarem cafona. A resposta dele foi: “Nós é jeca mas dorme na nota.”

As gravações do especial foram realizadas em maio, no interior da cidade de Campinas, São Paulo. A casa caipira que serviu de cenário foi ambientada com elementos da trajetória deles, tanto pessoal quanto profissional.

Fãs de Raul Seixas, eles pertenciam a mesma gravadora do artista e tinham todos os discos dele. Na programa, fizeram uma homenagem a Raulzito:

Uma curiosidade: Chitãozinho e Xororó contaram de onde veio a inspiração do famoso cabelo usado por eles nos anos 80. Liso e comprido atrás e espetado em cima: no ídolo Rod Stewart!

Screenshot 6

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Claro que clássico Evidências não ficou de fora!

Screenshot 7

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Pedro Bial quis saber da dupla qual é o maior orgulho nessa festa dos 50 anos.

Chitãozinho prontamente respondeu: “O orgulho da festa dos 50 anos é o nosso pai, que foi a primeira pessoa a enxergar que teríamos um futuro pela frente. Se estamos aqui é graças a ele.”

Lindo demaisssss!

Veja a reação dos fãs:

Screenshot 8

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Screenshot 9

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Screenshot 10

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Screenshot 11

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Screenshot 12

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

Screenshot 13

Direitos autorais: Reprodução/Twitter

0 %