Notícias

Pai de Henry faz tatuagem com rosto do filho e declara: “Eternizei na pele”

Direitos autorais: Arquivo pessoal
Sem Titulo 1 15

A foto tatuada pelo pai foi registrada em um momento de descontração e alegria, após uma tentativa frustrada de presentear o filho com um urso de pelúcia que chegou vazio.

Em março deste ano, o Brasil soube do assassinato do menino Henry Borel Medeiros, de apenas 4 anos, que foi levado já sem vida ao hospital pela mãe Monique Medeiros, e pelo padrasto, o vereador Dr. Jairinho. Ao longo das investigações, os responsáveis pela condução do caso acabaram se deparando com um longo histórico de violência do político, e omissão por parte da mãe, que já tinha sido alertada, ao menos em uma ocasião, do comportamento do marido pela babá.

As declarações de um pai enlutado, na busca por justiça, fizeram com que Leniel Borel, pai do menino e ex de Monique, se tornassem cada vez mais públicas. Para eternizar a imagem de um filho sorridente e pleno, ele tatuou o rosto do menino em sua pele e compartilhou o resultado em suas redes sociais, contextualizando o motivo da escolha.

Em janeiro deste ano, o pai e engenheiro comprou um urso de pelúcia gigante para Henry pela internet. Assim que o presente foi entregue em sua casa, um apartamento no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, o brinquedo estava completamente vazio, sem enchimento algum.

Acreditando que ficaria frustrado com a experiência, Leniel conseguiu contornar a situação, transformando a experiência em momentos divertidos ao lado do filho. Ele e Henry passaram horas em uma loja de espuma sintética em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, comprando o enchimento que faltava e dando forma a Jorge, nome que o filho escolheu para o urso.

Neste dia 6, Leniel decidiu eternizar um daqueles momentos ao lado do filho que causaram tanta alegria nos dois. Nas várias fotografias que tirou de Henry naquele dia, abraçado ao urso, o pai escolheu uma em que ele estava sorrindo para tatuar no braço esquerdo, em uma sessão de sete horas, em um estúdio em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.


Pai de Henry

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @lenielborel

Monique Medeiros e o marido, Jairinho, estão em prisão preventiva enquanto aguardam julgamento, e vão responder por homicídio triplamente qualificado, tortura e omissão. Além deste, o vereador ainda responde por dois outros crimes, também resultante de violência contra crianças enquanto mantinha um relacionamento com suas genitoras.

A decisão da prisão preventiva foi tomada no último dia do prazo, com a justificativa de que, como o crime foi midiático, causou “comoção pública”, e a soltura dos réus poderia acarretar em perda da ordem social. Além disso, ela ainda lembrou às defesas que ambos foram encontrados em uma residência diferente da que moravam no momento da prisão, o que reforça ainda mais o pedido da prisão preventiva.

0 %