Notícias

Filha de Carlos Alberto de Nóbrega vai na contramão da Praça, se muda para o Rio e cria marca

Filha de Carlos Alberto de Nobrega capa

Se quiser ver Carlos Alberto de Nóbrega com os olhos brilhando, basta tocar no nome de Maria Fernanda, sua única filha. O apresentador do SBT não esconde o orgulho que sente da menina que, aos 21 anos, já criou asas e começou a trilhar o próprio voo. Mafê, como é conhecida nas redes sociais, passou a compartilhar sua rotina na internet ainda no início da adolescência, e hoje acumula mais de 800 mil seguidores somente no Instagram. Diferentemente do irmão Marcelo, por exemplo, ela foi na contramão da Praça e se realizou bem longe das telinhas da TV. Com uma amiga, que se tornou sua sócia, Mafê criou uma marca de roupas.

Desde pequena sempre falava para todo mundo que meu sonho era ter uma marca de roupas e, durante a pandemia, resolvi colocar em prática. Por ser nesse período, eu tinha bastante receio, mas as pessoas que me acompanham são as melhores do mundo e eu sou muito grata por todo o carinho e, principalmente, pela maneira como eles abraçaram a ideia junto comigo“, conta, em entrevista.

Mafê admite que não sabe desenhar, mas gosta de acompanhar tudo o que envolve a Amo Emme. “Eu faço questão de participar de cada processo. Sempre fiz! É meu nome envolvido e eu quero tudo perfeito. Amo escrever cartinhas de agradecimento à mão, amo saber o nome das clientes fiéis“, comemora. A realização da filha é motivo de orgulho para Carlos Alberto e Andréa Nóbrega, que, segundo Maria Fernanda, sempre a apoiaram. “Eles são incríveis. Quando se trata de negócios, eles me ajudam em literalmente tudo! Até a embalar caixa se precisar eles vão me ajudar“, pontua.

Apesar de reconhecer seus privilégios e se orgulhar da família, Mafê afasta a ideia de que todas as portas pelas quais já passou tenham se aberto somente por causa de Carlos Alberto. “O que me incomoda é quando alguém diz que eu só fiquei conhecida ou só conquistei alguma coisa por ser filha dele, porque não é verdade. Corri muito atrás e a única coisa que ele fez foi sempre me apoiar em todas as decisões que já tomei“, observa, acrescentando ainda que não se vê atuando na Praça. “Talvez, se fosse para trabalhar em alguma coisa na TV, eu gostaria de um programa de entrevistas, algo do tipo“, revela, aos risos.

Além da realização de um sonho de infância, para Mafê, a Amo Emme representa o início da independência. A paulistana assume que ter uma empresa a fez amadurecer muito e despertou, inclusive, a vontade de começar uma nova faculdade para aplicar o que aprender na marca. “Não amava nada do que fazia, mas agora vou voltar a estudar e tenho grandes expectativas! Vou fazer Marketing, o que vai me ajudar bastante. Vou conseguir focar um pouco melhor também nessa outra parte do negócio, que sou apaixonada e vivo dando pitaco“, brinca. “Meu sonho seria uma loja física, mas não agora. Eu amo ter o on-line, que todas as pessoas podem comprar. Meu próximo projeto, que espero realizar esse ano ainda, é começar a vender em multimarcas pelo Brasil e participar de feiras de moda“, conta.

Filha de Carlos Alberto de Nobrega ft1

Direitos autorais: Reprodução/Instagram.

Filha de Carlos Alberto de Nóbrega se mudou para o Rio durante a pandemia

Antes da pandemia da Covid-19, Mafê Nóbrega passava todos os fins de semana na casa do namorado, que mora no Rio. Quando a quarentena começou, a filha de Carlos Aberto não conseguia voltar para São Paulo porque todos os voos estavam sendo cancelados. Conforme o tempo foi passando, ela teve a certeza de que era na cidade maravilhosa que queria ficar. Hoje, com um apartamento alugado e decorado do seu jeito, Mafê diz que mudou muito. “Esses dois anos me deixaram muito madura, sinto que sou uma pessoa completamente diferente“, revela.

Segundo ela, os pais a apoiaram quando ela decidiu mudar de estado e, curiosamente, Carlos Alberto sofreu menos que Andréa. “Ele é meu melhor amigo e se emociona, vibra e torce junto comigo por cada conquista. Nos falarmos todo dia e somos muito próximos“, pontua.

As redes sociais deixaram de ser somente um hobby e viraram trabalho. Mafê aprendeu a administrar o que fatura com publicidade, que ela diz deixar em uma conta que “não mexe de jeito nenhum“, e as críticas que às vezes surgem em um conteúdo ou outro. “Acho que o tempo ajuda em tudo. Aprendi a não me importar com os comentários de pessoas que não me conhecem, até porque eu sei muito bem quem eu sou e o que eu faço. Isso me ajudou muito a não ficar magoada com pessoas falando mal de mim. Hoje em dia é bem difícil ter algum comentário ruim, graças a Deus“, finaliza.

0 %