Notícias

Grávida de gêmeos siameses que dividem o mesmo coração não sabe se filhos vão sobreviver

Direitos autorais: Reprodução
2

A situação dos filhos tem feito com que essa mãe viva uma grande angústia.

A gravidez é um momento de muita alegria e ao mesmo tempo ansiedade e expectativa para as mães, que mal podem esperar para segurar os filhos no colo e poder viver a vida ao seu lado.

No entanto, para a manicure de Cuiabá Arlete do Nascimento Pinheiro, de 22 anos, a espera pelo nascimento também tem sido carregada de muita apreensão. Segundo informações do G1, a mulher, que está 7º mês de gestação de gêmeos siameses, tem sérias preocupações sobre o seu futuro.

Os médicos que a acompanham desde o começo da gravidez, lhe dizem que não será possível fazer a cirurgia de separação, isso porque, apesar de cada um ter os seus próprios rins, estômago e bexiga, eles dividem o coração, o que impede a realização do procedimento.

whatsapp image 2021 06 07 at 12.31.08

Direitos autorais: Arquivo pessoal

Aconselhados a não desenvolverem muitas expectativas, já que os bebês podem morrer ainda em sua barriga, Arlete e o marido ainda não escolheram o nome dos filhos, esperando que eles nasçam com saúde.

A manicure vivia com a família no Acre, mas há 2 anos se mudaram para Cuiabá, na expectativa de conquistarem uma vida melhor.

Ela está bastante angustiada com a situação, porque ser mãe novamente é um sonho para ela. No dia do parto, Arlete será acompanhada por uma equipe médica especializada, que avaliará a possibilidade de algum procedimento cirúrgico que possa melhorar a vida dos bebês.

A mulher conta que ouviu do médico que pode chegar um momento em que o coração não consiga abastecer os dois corpos, e que tem contado com apoio dos amigos e familiares para se manter firme.

Para ela, uma das coisas que mais machuca é o fato de que os bebês mexem muito, e que sua filha mais velha está bastante ansiosa, perguntando quando os irmãos finalmente nascerão.

whatsapp image 2021 06 07 at 12.31.23

Direitos autorias: Arquivo pessoal

Em abril, uma cirurgia inédita no Brasil conseguiu separar gêmeas siamesas unidas pelo tronco. A família vive em Rondônia, mas a operação aconteceu em São Paulo.

Assim como Arlete, a mãe das gêmeas Sara e Eloá também conviveu com muitas angústias, especialmente porque tinha ouvido que a gravidez não iria para frente, e que um dos fetos não tinha chances de sobrevivência, pois era menor do que o outro.

A estimativa é que exista um caso de gêmeos siameses para cada 200 mil nascimentos. Em 40% a 60% destes casos, os bebês vêm ao mundo natimortos, por conta disso, apenas algumas cirurgias de separação chegam a ser feitas.

0 %