Notícias

Luisa Mell usa maiô pela 1ª vez após sofrer violência médica e relembra: “Chorava quando via meu corpo”

Foto: Instagram
luisa mel

Luisa Mell usou suas redes sociais, neste domingo (5), para falar sobre seu processo de aceitação corporal mais de um ano depois de ter sofrido uma violência médica. A ativista da causa animal foi submetida a uma lipoaspiração não autorizada em 2020. Pouco depois, ela se separou do marido, Gilberto Zaborowsky, pois ele teria sido responsável por permitir o procedimento no corpo dela.

“Fiquei quase um ano sem ir à praia, piscina… Fugindo daquele que sempre amei, o sol. Vítima de violência médica (falarei em outro post nesta semana), chorava toda vez que via meu corpo no espelho. Vivi o último ano tentando mil tratamentos para melhorar as cicatrizes que aquele médico deixou em várias partes do meu corpo. Dias de sol me causavam uma tristeza, uma vontade de morrer, mas finalmente me libertei. Aceitei. Não o crime que foi feito, este lutarei para que o criminoso seja punido, para que nenhuma outra mulher passe por isso”, começou ela.

Em seguida, Luisa disse que está voltando a se amar e vai continuar lutando também pela saúde das mulheres.

“Mas esta frase da minha grande rainha Rita Lee (‘Adoro cicatrizes, tattoos da vida. Me fazem lembrar que eu fui mais forte do que aquilo que me feriu’) me despertou. Mais uma vez minha musa me ajudou. Meu corpo não vai mais voltar a ser como era. Nem eu. Estou aprendendo a gostar de quem sou agora… Passei este final de semana no Rio de Janeiro. Fui a praia, piscina, e voltei a viver! Nem eu sabia quanto eu estava precisando disto… Eu não poderia ter tido uma experiência mais linda do que foi! Voltei inundada de amor e força para prosseguir na luta”, completou.

Veja a publicação:

0 %