Notícias

Marcelo Adnet ironiza Zé Neto: “Critiquei seu toba e o mundo desabou”

Foto: Reprodução
capa adnet

A “CPI do sertanejo” e as recentes investigações a shows de artistas do gênero pagos por prefeituras segue causando na web.

Depois de Gusttavo Lima vir a público afirmar se sentir perseguido, famosos passaram a comentar o caso.

Na tarde desta terça-feira (31/5), o humorista Marcelo Adnet compartilhou uma paródia bem-humorada, brincando com a crítica feita por Zé Neto à tatuagem íntima de Anitta, e viralizou no Twitter.

Chegou a hora do meu gado sossegar o facho, e aprender que o buraco é mais embaixo. Esse povo da cidade me irrita, maldita a hora em que lacrei com o furico da Anitta”, começa Adnet.

Entenda o caso

Tudo começou quando Zé Neto criticou Anitta e a Lei Rouanet no palco de um show.

Estamos aqui em Sorriso, no Mato Grosso, um dos estados que sustentaram o Brasil durante a pandemia. Nós somos artistas e não dependemos de Lei Rouanet, nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘toba’ para mostrar se a gente está bem ou não. A gente simplesmente vem aqui e canta e o Brasil inteiro canta com a gente”, afirmou o cantor, em vídeo que viralizou no Twitter e foi condenado por fãs da artista internacional, que já declarou ter feito uma tatuagem no ânus.

Com a repercussão, internautas passaram a vasculhar a vida da dupla e descobriram que o próprio show no qual Zé Neto criticou a política cultural foi pago com recursos públicos.

De acordo com o Portal da Transparência da prefeitura de Sorriso, é possível verificar que houve uma inexigibilidade de licitação, o que significa que não houve concorrência para a contratação do serviço.

Ainda de acordo com o documento, Zé Neto e Cristiano teriam recebido R$ 400 mil, o maior cachê entre todos os artistas que se apresentaram na Exporriso, evento gratuito para a população.

Respingou no Gusttavo Lima

O Ministério Público de Roraima (MPRR) investiga a contratação do Gusttavo Lima pela prefeitura de São Luiz por R$ 800 mil.

O órgão solicita, por meio da Promotoria de São Luiz, informações do município sobre como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para os moradores. A cidade tem cerca de 8 mil habitantes, logo, cada munícipe (entre crianças e adultos) pagou R$ 100 pelo show, que deve ocorrer na 24ª edição da vaquejada na cidade, em dezembro deste ano.

Na sexta (27/5), outro show do Embaixador passou a ser investigado pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). A apuração preliminar trata da contratação de um show de Gusttavo Lima no valor de R$ 1,2 milhão pela prefeitura da cidade de Conceição do Mato Dentro (MG).

Após a polêmica, o prefeito de Conceição do Mato Dentro (MG), José Fernando Aparecido de Oliveira, conhecido como Zé Fernando, anunciou o cancelamento do show do cantor Gusttavo Lima e Bruno & Marrone na cidade.

Mesmo assim, a cidade precisará desembolsar o valor milionário para pagar o esposo da influenciadora Andressa Suita. Isso porque o contrato firmado entre a prefeitura e o Embaixador, como o artista é conhecido, previa R$ 600 mil no ato da assinatura, que já foi pago, e uma multa em caso de cancelamento, de 50% do valor global.

Nessa segunda (30/5), após ter outro show, desta vez em Magé (RJ), também sob investigação, Gusttavo Lima decidiu se manifestar. Ele disse ser vítima de perseguição e estar muito abalado com as críticas que vem sofrendo. Acusado de dar início à confusão, Zé Neto saiu em defesa de Gusttavo Lima: “Joga pra mim, irmão”.

Ouça a paródia completa:

0 %