Notícias

Morre menina que perdeu uma perna em acidente com carro alegórico na saída do Sambódromo do Rio

Foto: Reprodução
morre menina

A menina de 11 anos, Raquel Antunes da Silva, que sofreu um acidente em um carro alegórico da escola Em Cima da Hora na Sapucaí morreu nesta sexta-feira (22). A criança passou por uma cirurgia de oito horas no Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio, em que foi amputada uma das pernas. Após a operação, ficou em estado gravíssimo. Imagens após o acidente mostram marcas de sangue, carro alegórico arranhado e chinelos que seriam da menina.

A morte foi confirmada pela direção do Hospital Municipal Souza Aguiar, por meio de nota enviada pela Secretaria municipal de Saúde (SMS). O óbito aconteceu às 12h10min desta sexta.

A mãe de Raquel, Marcela Portelinha Antunes, que está grávida, passou mal ao chegar ao hospital logo após a morte da criança. Ela estava acompanhada por outras três mulheres. Ao sair de um táxi, antes de passar pela entrada do hospital, ela desmaiou e foi socorrida em uma maca.

Desde quarta-feira, familiares relatam que Marcela tem tido diversos desmaios e que estava traumatizada desde que soube que a filha tinha amputado uma perna por conta do acidente. Marcela está grávida de 3 meses e também passou mal na tarde de ontem enquanto falava com jornalistas no hospital

Momentos da tragédia

Ontem, no hospital, a mãe da menina contou que a filha subiu no carro alegórico da Em Cima da Hora quando o veículo estava parado, após o desfile, na noite de quarta-feira (20). As pernas da criança foram imprensadas quando o carro estava em movimento e passava ao lado de um poste numa parte estreita da via. As duas pernas da criança ficaram dilaceradas, segundo a mãe. Durante a operação, que demorou cerca de seis horas, foi preciso amputar a perna direita.

A família estava em uma lanchonete perto da Sapucaí quando a menina se distanciou para ver os carros alegóricos e subiu em um que estava parado. Em cima do carro ficaram os dois chinelos arrebentados que seriam da menina. Além disso, a alegoria ficou destruida no local do acidente. Elementos foram quebrados e parte do forro foi arrancada.

Muitas crianças estavam no local do acidente, o que atrapalhou o guincho do carro alegórico. Uma funcionária da Liga-RJ teve que pedir para elas se afastarem para que outro acidente não acontecesse. Duas pessoas auxiliaram o motorista do guincho a retirar a alegoria.

A menina tinha sentado no carro para tirar uma foto, segundo uma amiga da mãe dela, Daiane da Costa, de 25 anos.

— A gente estava na pracinha na Rua Frei Caneca. Compramos lanches, e ela ficou brincando com uns coleguinhas. As crianças foram andando no sentido do carro alegórico, e ela sentou para tirar uma foto. Não viram que ela estava sentada e empurraram o carro de frente pra trás, o que imprensou a perna dela no poste. Raquel ficou presa, e, quando puxaram a alegoria, ela caiu — conta Daiane.

Investigação em andamento

A Polícia Civil informa que as investigações estão em andamento. A perícia foi realizada no local e imagens de câmeras de segurança foram coletadas e estão sendo analisadas para esclarecer o fato.

A delegada Maria Aparecida Salgado Mallet, titular da 6ª DP (Cidade Nova), determinou a apreensão do carro alegórico que imprensou Raquel. O ‘Embarque no famoso 33’, da Em cima da hora, foi levado para um barracão, também na Região Portuária do Rio, e está à disposição de novas perícias complementares de profissionais do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE), que o analisaram e o fotografaram e trabalham para determinar as causas do acidente. Devem ser ouvidos na delegacia o presidente administrativo da escola de samba e um auxiliar do motorista do reboque que puxava a alegoria.

0 %