Notícias

Mulher dispara tiro contra o próprio marido após ele se negar a mostrar-lhe mensagens em celular

mulher dispara

Uma mulher, de 32 anos, foi presa em flagrante por tentativa de homicídio, em Pacaembu (SP), nesta quarta-feira (9). Segundo a Polícia Militar, ela atirou contra o próprio marido.

A ocorrência foi por volta das 20h20, quando a equipe foi acionada para atender a um caso de disparo de arma de fogo. No local, os policiais encontraram um homem, de 71 anos, pai da vítima.

O idoso informou que mora perto do local e que notou a movimentação de pessoas próximo à casa do filho. Ele chegou ao imóvel e viu que a vítima estava sendo socorrida pela ambulância municipal com sangramento.

Ele entrou na casa pela porta da cozinha e viu sua nora sentada no chão, “em meio a sangue” e com o revólver do seu filho caído ao lado dela. O idoso contou que pegou a arma para “evitar mais problemas.

Ainda conforme a polícia, a mulher aparentava estar em “estado de choque”. “Com muita dificuldade”, ela informou que discutiu com o marido e falou que ele estaria escondendo algumas mensagens no celular.

Então, ela foi até o quarto e pegou a arma dele na gaveta da cômoda com o “intuito de assustá-lo”. Ela solicitou novamente para que ele mostrasse-lhe as mensagens, mas o marido se negou a atender ao pedido. A mulher afirmou que ficou “muito nervosa e apertou o gatilho”. Ela disse também que não queria machucar a vítima e que estancou o sangramento até a chegada da ambulância.

A mulher foi presa em flagrante por tentativa de homicídio. A vítima foi levada para o pronto atendimento municipal com ferimento de entrada nas costas e saída pelo abdômen, sendo estabilizada e levada para a Santa Casa de Misericórdia de Adamantina (SP). O homem passou por cirurgia no hospital e permaneceu internado em estado estável.

A suspeita também foi levada para o pronto atendimento municipal e foi liberada pelo médico em seguida. Ela foi encaminhada para a Delegacia da Polícia Civil, onde a prisão foi ratificada e permaneceu à disposição da Justiça.

O revólver de calibre 38 continha seis munições, sendo cinco intactas e uma deflagrada.

0 %